quinta-feira, 30 de abril de 2015

Resenha | Reencontro (Leila Kruger)

Oi genteee, tudo bem com vocês?

Siiim, hoje seria dia de "1 filme por semana", mas tem uma resenha muito bacana que não pode esperar!!!

A Amanda Lira leu "Reencontro" e contou tudo pra gente. Vamos conferir?


"Reencontro" - Autor: Leila Kruger - Editora: Novo Século  - Páginas: 496

Ana Luiza é uma adolescente que está passando por diversas dificuldades na vida. Entre elas a sua relação com os pais, pois ambos são egoístas e não têm interesse na vida da filha, achando que o dinheiro é a solução para todos os problemas. 

Diante da história de Ana Luiza, fiquei extremamente cativada e emocionada. Por diversas vezes me identifiquei com seus problemas, o que me deixou ainda mais sensibilizada com a leitura. 

Além dos problemas familiares, Ana termina seu namoro, o que a faz se afundar em drogas, desvalorizando cada vez mais a própria vida, tanto que cogita a hipótese de cometer suicídio, mas sua coragem não é suficiente para tal. 

Nana, sua melhor amiga faz o que puder para vê-la melhor, mas não obtêm sucesso em nada. Até que Rafa cruza o caminho de Ana Luiza, e aos poucos se torna seu melhor amigo, com a missão de ajudá-la a ver o mundo de outra forma, fazendo-a sair do fundo do poço onde se encontra. 

Com medo de se apaixonar por Rafa, Ana se afasta, mas ele persiste para ficar ao seu lado independente de qualquer coisa. Seu objetivo é vê-la recuperada de todo o caos que passou na vida. 

Reencontro é o primeiro livro de Leila Krüger, escrito com toda a delicadeza e desenvoltura para tratar assuntos tão difíceis como os que Ana Luiza vive. Problemas como depressão e drogas são extremamente difíceis de lidar e Leila conseguiu descrevê-los sem partir para o clichê.

Todos nós já passamos por problemas tão complicados que achávamos que não íamos sair do fundo do poço. A história de Ana Luiza nos mostra que sempre podemos nos reencontrar, por mais perdidos que possamos estar. 

E aí, gostaram? Já conheciam o livro?
A Amanda escreve lá no Cute and Rude e você pode segui-la aqui!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre o Autor:
Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Resenha | Amor e Ordem: O Despertar (Daniele Fleur)



"Amor e Ordem: O Despertar" - Autor: Daniele Fleur - Editora: Deuses  - Páginas: 128


Sinopse: John Peter é um alemão que vive em São Paulo. Com os ensinamentos deturpados de seu avô Hans, que foi General da SS de Hitler, John se tornou líder de um grupo de skinheads neonazistas, tornando-se agressivo e cego pelas suas próprias doutrinas. Ao qual sai com seu grupo, espalhando violência pela cidade, pregando ódio e machucando a todos que atravessam o seu caminho; entretanto, tudo isso muda quando ele conhece Celenna, uma garota negra, e se apaixona por ela perdidamente. 

John tenta negar este amor a si mesmo a todo tempo, mas também começa a questionar coisas, vindo a pensar de um jeito diferente. Entretanto seus amigos começam a notar mudanças em seu comportamento e Celenna tem que enfrentar as dificuldades e adversidades que imperam entre a razão e o coração, vindo a sentir a discriminação por sua cor de pele. Entre esse amor há muitas barreiras. Mas o amor será capaz de uni-los, levando-os a lutar contra o preconceito, incluindo os deles próprios?


Se tem uma disciplina na escola que sempre valeu muito a pena estudar é História. Sempre gostei de saber o que aconteceu, como aconteceu, quais eram costumes, sentimentos, ideias e como o mundo se formou através dessas vivências das pessoas. Tenho certeza, inclusive, que foi esse meu prazer por estudar essa matéria escolar que contribuiu tanto para que eu amasse livros. Por isso, sempre gostei de livros que envolvessem alguma temática que colocasse momentos marcantes da História do Mundo e esse coloca não só um momento marcante, mas um dos principais, a meu ver.

Eu falei que adoro Nazismo e duas amigas riram dizendo que a frase ficou estranha. E ficou mesmo. Não sou uma pessoa que é contra Judeus, Negros, Homossexuais ou qualquer outra "minoria" e muito menos sigo qualquer "princípio" nazista, pelo ao contrário. Adoro a matéria Nazismo porque mostra como o Ser Humano pode ser influenciado, enganado (ou melhor se deixar enganar), egoísta, perturbador e ganancioso. Pior, como as pessoas no mundo são ligadas ao valor do Poder desde sempre. Só que um dia a "ficha cai" e muitas dessas pessoas passam a perceber o mal que as cercam, sejam por conta delas mesmas ou através de pessoas que conseguem enxergá-lo. E, em resumo, de alguma maneira, foi isso que aconteceu com o Nazismo. Na prática menos romantizado, é claro, afinal, ainda temos os neonazistas tomando conta do mundo atual. E é exatamente aí que a nossa história começa.

John Peter é um desses neonazistas. Um skinheads sem coração, que dá fim a suas vítimas sem dó nem piedade. O que ele não contava é que Celenna, uma negra, entraria no seu caminho e tudo aquilo que ele acreditava lá no mais fundo da sua alma e consciência se desfaz ao se sentir completamente atraído de uma forma inexplicável pela aquela garota que ele deveria odiar. Num ato que nem mesmo ele achou ser capaz de cometer, ela o percebe e se apaixona. Daí por diante o livro é uma verdadeira delícia, pois os dois entram em conflitos internos, se enlouquecendo e deixando todos ao seu redor de cabelo em pé. 

John não quer deixar de lado tudo que sempre aprendeu e pregou na vida, mas como simplesmente esquecer Celenna? Ela, por sua vez, não quer gostar dele, mas como ir contra tudo que sente e deixar de lutar? Não dá! Eles não conseguem e nós não queremos que eles consigam. Tem horas que até queremos odiar John Peter e "dá na cara" da Celenna por acreditar nesse sentimento por ele, mas passa logo, pois a gente quer mesmo é que eles ultrapassem a barreira do preconceito e da falta de educação.

É um livro de luta interna, luta com o mundo, segredos, arrependimentos, romance, amizade e muitas informações. A primeira é como ainda lidamos com a intolerância através de grupos que propagam a raiva e o desamor. A segunda é como há grupos skinheads que fazem atrocidades e o poder público não combate, trazendo medo para muitas pessoas. Já a terceira informação ocorre em como o racismo, apesar de tudo, ainda é tratado como se fosse algo normal. No nosso país isso é crime e mesmo assim há que trate como algo normal. Por último, que apesar dos tempos, ainda lidamos com a força do poder, a força errada, claro. Só por poder falar disso tudo, já é uma leitura que deve ser feita.

Ponto positivo: saber um pouco mais da cultura alemã através dos costumes e a língua. O que torna o livro muito mais próximo do seu propósito. E o uso rico dos personagens secundários para o desenrolar da trama.

Ponto Negativo: ficar algumas informações pendentes, sem sabermos o que aconteceu realmente. Mas já soube que é uma trilogia e por isso ainda não sabemos de certas informações ainda. Só coloquei como ponto negativo porque já estou muito curiosa para a continuação da história. A autora foi má comigo em me deixar assim tão eufórica com o livro e eu não ter um final!

Que venham os outros dois livros, mais emoção, mais John Peter e Celenna, mais de superação e mais do sentimento que deveria mover o mundo: o amor.


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre o Autor:
Liza AlvernazNatalia Menezes |  Twitter  |  Todos os posts do autor
Amante de futebol, música, filmes e livros, sempre foi apaixonada por histórias, seja lá de qual maneira forem contadas. Ama tanto lidar com o abecedário em forma de frases e parágrafos, que acabou se formando em Letras.




terça-feira, 28 de abril de 2015

Sons do Brasil #14: BAHIA

E aee galerinhaa! Salvee! Tudo sussa com vocês?!

Hoje é terça-feira, logo, dia de coluna musical aqui no blog, logo, dia de...


Basicamente, chegamos a metade do quadro com o top 10 de hoje! Já são 14 estados, 140 artistas/bandas, e muita bagagem musical para todos nós!

Já passaram por aqui (estados em vermelho): Ceará, Roraima, Mato Grosso, Maranhão, Acre, Rio de Janeiro, Rondônia, Piauí, Distrito Federal, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e Amapá!


O estado selecionado para hoje vem da região Nordeste, e tem por limites 8 (oito) outros estados brasileiros; por sinal, é o estado que mais faz divisas no país: Minas Gerais a sul, sudoeste e sudeste, Espírito Santo a sul, Goiás a oeste e sudoeste, Tocantins a oeste e noroeste, Piauí a norte e noroeste, Pernambuco a norte, e Alagoas e Sergipe a nordeste! (UFA! :v hauhauhauahua’)

Quem vem lá é, ninguém menos, ninguém mais, que a...

BAHIA!!!


Terra com música de influência africana, do samba de roda, o lundu e tantos outros ritmos, movidos por atabaques, berimbaus, marimbas... foi daqui que nasceram expoentes brasileiros do samba, do pagode, do tropicalismo, do rock nacional, da bossa nova, do axé, do samba-reggae.

Então, vamos ao que interessa! Pra início de conversa, trago para vocês um artista daqueles que você pode nunca ter ouvido, mas já sabe que é fã! Jauperi, ou simplesmente Jau, começou fazendo parte do grupo Olodum, e hoje vivencia uma carreira solo de muito sucesso! A música que escolhi foi o clássico baiano "É D'Oxum", que Jau gravou para a trilha do filme "Ó Pai, ó"!


Seguindo, temos o forró da banda Cangaia de Jegue! Nascida da união de quatro jovens universitários em meados de agosto de 2002, no município de Jequié, interior da Bahia, a banda vem conquistando um enorme espaço e um caloroso público, devido ao sucesso que suas composições fizeram e fazem em regravações de inúmeras bandas já famosas! Sabe os sucessos "Ai Se Eu Te Pego", "Bolo Doido", "Jeito Carinhoso"?! Pois bem, vieram desses caras! E, lançando a nova música "Namorar Pra Quê?", um feat com Durval Lelys da banda Asa de Águia, Cangaia de Jegue!


Direto dos palcos do programa Superstar da Rede Globo, trago a banda baiana de rock, Scambo! Na estrada a bastante tempo ~ desde 1999 ~, a banda que já possui uma legião fervorosa de fãs, vem despontando como uma das favoritas a se destacar no programa nesta sua segunda edição! "Meu Ar" foi a canção que escolhi trazer deles pra vocês! Curtam bastante!


Assim como a banda Scambo, importo diretamente do palco do Superstar - SIM, UM DOS MELHORES PROGRAMAS MUSICAIS DO MOMENTO -, a dupla Lucas e Orelha! O que esperar de dois jovens adolescentes que se propõem a cantar Funk Melody?! Me julguem, mas eu vii os míticos Claudinho e Buchecha nesses guris! Uns toques e retoques, e esses moleques vão fazer muito sucesso! Ouçam "Não Vou Esperar", e vejam se não tem fundamento o que eu tô falando!


E se tá liberado importar do Superstar, também tá liberado importar do The Voice Brasil! Sucesso lá da primeira temporada do programa - que cá pra nós foi a melhor de todas né amigos? -, a finalista sambista não só estilo, mas literalmente, Ju Moraes! "Na Palma da Mão", single do seu mais novo álbum denominado 'Em Cada Canto Um Samba', é a maior prova do sucesso que a The Voicer atingiu com a sua carreira! Vem curtiir!


Invertendo a polaridade, trago para vocês o som dos jovens da banda Half Kids! Tendo como proposta fundamental o rock/punk, eu consigo enxergar um sucesso excepcional nesses guris! É muito talento reunido junto... Como se um complementasse o outro! Não dou muito tempo para uma novela do naipe 'Malhação' ter um tema de trilha dessa moçada! "Tudo Mudou" seria um perfeito exemplo para o caso!


Tendo como principais influências as bandas californianas Sublime e Reel Big Fish, a banda Murdera traz um som voltado para uma mistura de elementos de pop, rock e reggae, e ainda uma pitada de som alternativo! Curtiu a mistura?! A banda conquistou espaço em festivais de rock do nordeste, como o Salvador Live Music e o Badalando Rock Aracaju, dividindo a grade com grandes atrações do cenário musical, como a cantora Pitty! Vem ouviir "Viva Você, Seja Você" e torne-se fã dessa galera top!


"A Estakazero nunca sai de moda!" A frase poderia ter sido dita por qualquer um que ouve ou acompanha a trajetória da banda que toca o ano inteiro em toda a Bahia! Renovando com um projeto novo e versátil, a Estakazero foge do até então forró e xote ao qual algumas pessoas insistem em rotula-los, e traz diferentes ritmos em seu repertório, dentre eles vaneirão, arrasta-pé, sertanejo e até um pouco de arrocha! Escolhi a canção "Quando A Gente Ama" para trazer pra vocês! Curtam sem moderação!



"Maglore é uma banda que se revela em algum lugar entre a bossa nova e o rock'n'roll", esse é um dos trechos que inicia a bio da banda em seu site oficial! Pra você que não conhece, ficou curioso né?! Aposto que sim! De som orgânico e arranjos precisos e preciosos, o trio baiano Maglore tem como característica principal a canção popular! "Mantra" é um dos singles que faz partes dos últimos álbuns da banda, que figuram como melhores discos do ano nos principais veículos de comunicação do Brasil e em veículos da web especializados em música!



Encerrando o nosso top 10 de hoje, temos um cantor, compositor, músico e produtor que é um dos maiores artistas em ascensão no Brasil! Dono de sucessos marcantes, como "Te Espero No Farol" e "A Gente Se Vê Depois da Chuva, ele traz uma energia inenarrável e personalidade marcante e irreverente! Nem precisa falar o quanto sou fã desse cara né?! Com um dos seus mais novos singles, "Despertar", deliciem-se com o som e a qualidade musical dele, que já foi vocalista da banda 'Rapazzola', Tomate!



Eiiii, tá pensando que acabou por aqui?! Óbvio que não! Hahahaha

Marcando a metade do nosso quadro aqui da coluna musical, trago pra vocês uma surpresa: um bônus-track!

É óbvio que ele não poderia faltar aqui nesse top 10 da Bahia... Um dos maiores sucessos da atual música brasileira, ele é hoje o maior fenômeno da música baiana! Considerado como o 'dono da voz romântica', ele já vendeu milhões de CD's e conquista, a cada dia que passa, um número maior de fãs! Segura a sofrência, meu povo, "Porque Homem Não Chora"! Pablo, pra vocês! o/


Agora siiim, partiu meu povo!

Até semana que vem, com mais um: Sons do Brasil! 

Bjooo! :3

Sobre o Autor:
Liza Alvernaz | Vic Lima |  Facebook - Twitter - Soundcloud  |  Todos os posts do autor
Aspirante à aprendiz de músico. Pernambucano, Canceriano e há 21 anos fazendo e falando besteira. Aquele que entrou pela cota de "Copiloto, Sócio e Braço direito da Idealizadora do Blog".

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Resenha | Uma mulher, um homem, um drink (Natalia Von Poser)



"Uma mulher, um homem, um drink" - Autor: Natalia Von poser - Editora: Livros Ilimitados - Páginas: 212


"Uma mulher, Um homem, Um drink" tem como protagonista, Paula, uma mulher de 32 anos, psicóloga, que trabalha selecionando funcionários para telemarketing. Noiva de Fernando, um homem que não apresenta nada em comum com ela e, ainda por cima, mora em outra cidade.

Sob pressão de sua família, Paula decide fortalecer o relacionamento, planejando casamento e filhos. Decidida, larga o emprego no Rio de Janeiro, e parte em sentido a São Paulo, para morar com o noivo. E é no aeroporto, no aguardo de seu voo, que tudo começa a mudar: um homem lindo - e de costas largas - lhe oferece um drink!

Trata-se de Ricardo. Ex-marqueteiro, que largou tudo para virar professor.  Poderia ser mais um romance-água-com-açúcar em que os dois se apaixonam no primeiro olhar, tomam o drink juntos e seguem pra viverem felizes para sempre! Mas Natalia Von Poser nos surpreende com uma narrativa super criativa e original!

O drink oferecido por Ricardo é justamente o ponto crucial da história pois, a partir dele, três outras histórias se desenrolam. Em cada parte, uma decisão. Para cada decisão, um destino diferente.

Sabe quando o personagem de nossa história passa por determinada situação, ou toma certa decisão, e nós ficamos nos perguntando uma infinidade de "E se...?"
E se Paula tivesse recusado o drink? E se ela tivesse aceitado?
Pois é, em "Uma mulher, um homem e um drink" não precisamos nos corroer de curiosidade.

As decisões são diferente, os destinos também. Mas uma coisa as três partes têm em comum: faz com que o leitor se encante cada vez mais pelos personagens e destinos!


"Todos dizem que a vida é feita de escolhas, e que você é responsável pelo seu destino, mas, na verdade, é meio que um jogo de cartas marcadas. Cada vez que você faz uma escolha, você pode calcular aproximadamente a probabilidade de atingir o resultado que você quer. Nada é aleatório. Você joga as fichas certas, senta e espera."


A autora mescla romance e humor na dose certa. E o principal, atinge uma narrativa extremamente envolvente, que nos faz, ora sentir-se dentro da história, ora querer estar lá para interferir nos rumos tomados! Ri, me emocionei, tive MUITA raiva, torci, enfim, passei por todas as situações que amo passar durante uma leitura. Por isso, ela foi super válida e prazerosa!


"Não se iluda, por mais que a gente cresça, por dentro a gente nunca sai da quinta série"


Pontos positivos a parte, são a diagramação e a capa! Perfeitas!!!




A obra de Natalia Von Poser me encantou muito e eu adoraria saber a opinião de vocês sobre ele!

E aí, já leram? Me contem!! :) 


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre o Autor:
Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!

domingo, 26 de abril de 2015

100 filmes que você precisa ver antes de morrer | #2

Oi genteeee, tudo bem com vocês?

Semana passada estreamos mais uma coluna de filmes por aqui, lembram? Nãoo? Perderam? Então clica aqui e confira!!! 

Chegou a hora de mais 5 indicações! Só pra ressaltar, algo que faltou informar na semana passada: a ordem dos filmes não tem nenhuma relação com ordem de preferência, ok? 

Vem!!!

6 - Alice no país das maravilhas




Sinopse: Alice (Mia Wasikowska) é uma jovem de 17 anos que passa a seguir um coelho branco apressado, que sempre olha no relógio. Ela entra em um buraco que a leva ao País das Maravilhas, um local onde esteve há dez anos apesar de nada se lembrar dele. Lá ela é recepcionada pelo Chapeleiro Maluco (Johnny Depp) e passa a lidar com seres fantásticos e mágicos, além da ira da poderosa Rainha de Copas (Helena Bonham Carter).

Já não é novidade pra vocês que Alice é uma das minhas personagens preferidas de todo mundo literário, né? Além disso, sou fã incondicional do Diretor Tim Burton. Logo, não teria como sua adaptação de Alice ficar fora da minha lista de preferidos. Amo! <3

* Tem no Netflix!



7 - Edward, Mãos de tesoura





Sinopse: Peg Boggs (Dianne Wiest) é uma vendedora da Avon que acidentalmente descobre Edward (Johnny Depp), jovem que mora sozinho em um castelo no topo de uma montanha, criado por um inventor (Vincent Price) que morreu antes de dar mãos ao estranho ser, que possui apenas enormes lâminas no lugar delas. Isto o impede de poder se aproximar dos humanos, a não ser para criar revolucionários cortes de cabelos, mas ele dá vazão à sua solidão interior ao podar a vegetação em forma de figuras ou esculpir lindas imagens no gelo. No entanto, Edward é vítima da sua inocência e, se é amado por uns, é perseguido e usado por outros.

Mais Tim Burton <3 Além de "Edward, mãos de tesoura" tratar com muita sensibilidade e poesia de assuntos tão delicados como timidez e preconceito, o personagem principal é uma representação bem intimista do próprio Tim Burton. Tipo de filme que TODO mundo deveria ver!


* Tem no Netflix!


8 - A Lista de Schindler 




Sinopse: A inusitada história de Oskar Schindler (Liam Neeson), um sujeito oportunista, sedutor, "armador", simpático, comerciante no mercado negro, mas, acima de tudo, um homem que se relacionava muito bem com o regime nazista, tanto que era membro do próprio Partido Nazista (o que não o impediu de ser preso algumas vezes, mas sempre o libertavam rapidamente, em razão dos seus contatos). No entanto, apesar dos seus defeitos, ele amava o ser humano e assim fez o impossível, a ponto de perder a sua fortuna mas conseguir salvar mais de mil judeus dos campos de concentração.

Tem nazismo, tem lágrima, tem atuações perfeitas! Levei anos pra assistir esse filme pois quis ter maturidade pra entender tudo que ele representa. E não me arrependi. Um dos melhores com a temática!


* Tem no Netflix!


9 - De repente é amor




Sinopse: Oliver (Ashton Kutcher) e Emily (Amanda Peet) se conhecem em um vôo que cruza os Estados Unidos. Ele é um recém-formado que procura seguir um cronograma rígido para sua vida, de forma que consiga alcançar sucesso profissional o mais rapidamente possível e também encontrar o amor de sua vida. Ela é espontânea e indisciplinada, do tipo que prefere ver aonde a vida leva ao invés de fazer planos para o futuro. Oliver e Emily imediatamente sentem atração um pelo outro, mas as características de ambos são incompatíveis. Durante os sete anos seguintes eles se encontram periodicamente, mas tudo parece conspirar para que eles sempre estejam separados.


Tem milhares de filmes melhores que esse? Tem. Mas sabe aquele "queridinho" que é impossível esquecer?
Sou completamente apaixonada por Oliver e Emily até hoje. Já re-assisti uma infinidade de vezes e ainda me encanto e divirto com a mesma intensidade! <3 


* Tem no Netflix!

10 - Um amor pra recordar



Sinopse: Em plenos anos 90, Landon Carter (Shane West) é punido por ter feito uma brincadeira de mal gosto em sua escola. Como punição ele é encarregado de participar de uma peça teatral, que está sendo montada na escola. É quando ele conhece Jamie Sullivan (Mandy Moore), uma jovem estudante de uma escola pobre. Com o tempo Landon acaba se apaixonando por Jamie que, por razões pessoais, faz de tudo para escapar de seu assédio.

Nicholas Sparks é uma das minhas maiores decepções literárias. Vou falar disso em um outro post em breve!
Mas o tanto que odeio seus livros, AMO os filmes. Quase todos! Incrível! "Um amor pra recordar" é doce, delicado, emocionante, triste na medida certa... E melhor: é um dos primeiros filmes com essa temática de adolescente-com-câncer-terminal-apaixonada que eu vi, então ainda não estava saturada. Logo, marcou como um dos melhores e mais bonitos...  Porque hoje em dia, eu simplesmente não AGUENTO ver nada do estilo!


* Tem no Popcorn Time!


Por hoje é só, pessoal! Espero que tenham gostado.
Não deixem de contar pra gente o que acharam das indicações!

Beijinhos e até a próxima!




------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre o Autor:
Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!

sábado, 25 de abril de 2015

Aquela dos 30 | Quotes





Olá!!! Tudo bem com vocês?

Hoje é dia de "Aquela dos 30", coluna deliciosa que estreou semana passada, e se você perdeu pode correr e conferir tudo clicando aqui!

Essa semana vamos mostrar nossos quotes preferidos! Sabe aquele trecho/frase que ficou marcado quando lemos e levamos pra vida? Pois bem, vamos a eles! 

Vamos lá:

Quotes preferidos de Eliza


"Quando acordei hoje de manhã, eu sabia quem eu era, mas acho que já mudei muitas vezes desde então." - (Alice, Aventuras de Alice no país das Maravilhas - Lewis Carrol) 

"São nossas escolhas que revelam quem realmente somos, muito mais do que nossas qualidades!" - (Alvo Dumbledore, Harry Potter e as relíquias da morte - J. K. Rowling) 

"Não é a ação que prova o crime, e sim a intenção" - (Tristão e Isolda) 

"Capitu era Capitu, isto é, uma criatura mui particular, mais mulher do que eu era homem." - (Dom Casmurro - Machado de Assis) 

"As pessoas valem o que vale a afeição da gente" - (Dom casmurro - Machado de Assis) 

"Não se nasce mulher: torna-se..." (O segundo sexo - Simone de Beauvoir) 

"Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.” - (Extraordinário - R.J. Palacio) 

"Porque o objetivo do povo é mais honesto que o dos poderosos; estes querem oprimir e aquele não ser oprimido. Contra a hostilidade do povo, o príncipe não se pode assegurar nunca, porque são muitos…" - (O Príncipe - Maquiavel) 

"Sim, você é louca, louquinha. Mas vou lhe contar um segredo: as melhores pessoas são assim!" - (Chapeleiro Maluco, Aventuras de Alice no país das Maravilhas - Lewiss Carrol) 

"O essencial é invisível aos olhos" - (O pequeno Príncipe -Antoine de Saint-Exupéry) 


Quotes preferidos de Natalia


"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos". - (O Pequno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry) 

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". - (O Pequno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry) 

"Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante". - (O Pequno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry) 

"Só existe uma maneira de mudar o mundo: mudar a si mesmo." - (O retorno do jovem príncipe -A. G.Roemmers) 

"Se eu vejo um rosto hostil no espelho, tudo que preciso fazer é sorrir." - (O retorno do jovem príncipe -A. G.Roemmers) 

"Conhecendo-me um pouco agora, venha a me conhecer melhor depois." - (As Crônicas de Nárnia - CS Lewis) 

"Nenhuma alta sabedoria pode ser atingida sem uma dose de sacrifício". - (As Crônicas de Nárnia - CS Lewis) 

"Palavra puxa palavra, uma ideia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução, alguns dizem que assim é que a natureza compôs as suas espécies". - (Esaú e Jacó - Machado de Assis) 

"Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros... Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Eu queria mais números do que provavelmente vou ter". - (A Culpa é das Estrelas - John Green) 

"Sabe por que eu te quero? Eu não sabia que estava perdido até que você me encontrou. Não sabia que estava sozinho até a primeira noite em que passei na minha cama sem você. Você é a única coisa certa na minha vida. Você é o que eu sempre esperei, Beija-Flor." - (Belo Desastre - Jamie McGuire) 


Quotes preferidos de Pit


"Toda manhã vocês se levantavam e saíam para o trabalho. Na verdade, porém, vocês nunca estiveram de fato acordados. Pode ser que vocês tenham visto o sol, a lua e as estrelas no céu, e também tudo que existe a move a Terra... mas vocês nunca viram todas essas coisas como elas realmente são. No caso do Curinga é diferente, pois ele veio ao mundo com o defeito de ver coisas demais e de todas elas em profundidade!”- (O Dia do Curinga - Jostein Gaarder)

“O futuro vai apagar tudo — não existe nenhum nível de fama ou genialidade que permita a alguém transcender o esquecimento. O futuro infinito torna esse tipo de importância impossível.Mas há um outro jeito. As histórias.” (O Teorema Katherine - John Green)

“Eu conto histórias... Pego os pedaços do passado que consigo ver e os combino em narrativas. Alguém precisa contar essas histórias. Quando batalhas são travadas, vencidas e perdidas, quando piratas encontram seus tesouros e os dragões comem seus inimigos no café da manhã acompanhados de uma bela xícara de chá, alguém precisa contar as próprias narrativas superpostas. Existe magia nisso. Está nas pessoas que ouvem, e será diferente para cada ouvido, e vai afetá-las de formas que nunca poderão prever. Desde o mundano até o mais profundo. Você pode contar uma história que passe a morar na alma de alguém, se transforme em seu sangue e propósito. Essa história vai motivar e impulsionar e quem sabe o que ela poderá fazer por causa disso, por causa das suas palavras. Esse é o seu papel, o seu talento.” (O Circo da Noite - Erin Morgenstern)

“A tentativa de impor ao homem, uma criatura evoluída e capaz de atitudes doces, que escorra suculento pelos lábios barbados de Deus no fim, afirmo que a tentativa de impor leis e condições que são apropriadas a uma criação mecânica, contra isto eu levanto minha caneta-espada...” (Laranja Mecânica - Anthony Burgess)

"O depois nunca é como foi imaginado pelos que viviam sob tiranias. A nova ordem republicana não educou os filhos dos escravos. Como cometemos tal erro? Ainda carregamos como uma bola de ferro atada aos nossos pés as cicatrizes desse erro... e ainda estamos aqui, amarrados pelos fios de um novelo que nos constrange. Por que é sempre tão tardia e lenta e limitada a liberdade nesta terra?” (Tempos Extremos - Míriam Leitão)

“O que me salva é a distração, ela preserva minha sanidade!” (A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak)

“Decididamente, eu sei ser animada, sei ser amável. Agradável. Afável. E esses são apenas os As. Só não me peça para ser simpática. Simpatia não tem nada a ver comigo.” (A Menina que Roubava Livros - Markus Zusak)

“Eu viverei o mais sinceramente que puder e mergulharei profundamente em tudo o que estiver sentindo. Irei refletir com rigor sobre cada pensamento e emoção que me ocorrer e tentarei melhorar o quanto for possível. Continuarei a escrever e a estudar, para que quando chegue o momento da minha morte, eu morra de forma bela, como um homem em meio a um esforço elevado e nobre.” (A Terra Inteira e o Céu Infinito - Ruth Ozeki)

“O futuro é o maior produto de exportação de meu país. Sai tão depressa pelos nossos portos marítimos que a maioria do nosso povo nunca o viu nem sabe como é. No meu país, o futuro existe em pepitas de ouro escondidas na rocha ou é colhido em reservas escuras no fundo da terra. Nosso futuro se esconde da luz, mas o povo de vocês chega lá com um grande talento para adivinhar onde está. Dessa forma, de fração em fração, nosso futuro se torna o seu futuro. Admiro sua feitiçaria pela sutileza e pela variedade. A cada geração, o processo de extração é diferente. É verdade que somos ingênuos. Em minha aldeia, por exemplo, fomos pegos de surpresa ao descobrirmos que o futuro poderia ser bombeado para dentro de barris de 42 galões e embarcado para uma refinaria. Aconteceu enquanto estávamos preparando a refeição da noite, enquanto a fumaça azulada da lenha se misturava com o vapor denso das panelas de mandioca ao sol dourado do entardecer. Foi tão repentino, que as mulheres tiveram que nos agarrar, nós, as crianças, e correr conosco para dentro da selva. Ficamos escondidas lá escutando os gritos dos homens que tinham ficado para lutar — e, enquanto isso, na refinaria, por um processo de destilação, o futuro de minha aldeia era separado em suas frações. A fração mais pesada, a sabedoria de nossos avós, foi usada para asfaltar as estradas de vocês. As frações medianas, as economias cuidadosas de nossas mães, as moedinhas que elas guardavam depois da época da colheita, essas foram usadas para abastecer seus carros. E a fração mais leve de todas — os nossos sonhos fantásticos de crianças nas horas mais sossegadas das noites de lua cheia —, bem, esses saíram em forma de gás, que vocês engarrafaram e estocaram para o inverno. Dessa maneira, nossos sonhos vão manter vocês aquecidos. Agora que são parte do seu futuro, não acuso vocês de usá-los. Vocês provavelmente não fazem a menor ideia de onde eles vieram.” (Pequena Abelha - Chris Cleave)

“E isso acontece exatamente como resultado de uma interação sutil entre fantasia e razão. Acontece com frequência de a razão sufocar a fantasia. E isso é muito sério, porque sem fantasia nada realmente novo pode ser criado.” (O Mundo de Sofia - Jostein Gaarder)






------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre o Autor:
Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!









                                   

sexta-feira, 24 de abril de 2015

1 filme por semana | 13/53: A Saga de Manoel Congo



Oi gente, tudo bem com vocês? Perceberam que o "1 filme...." está sendo postado com 1 dia de atraso essa semana, né? Pois é, tivemos um probleminha por aqui, mas já está tudo certo. Semana que vem será tudo normal! 


Quem fará a coluna hoje é a Pit Larah, colunista de Sexta-feira! 

Vamos conferir?




Ficha Técnica

Título: A Saga de Manoel Congo
Direção: Dermeval Netto
Gênero: Documentário 
Duração: 49:26



O filme retrata a Rebelião de Paty de Alferes. Uma das maiores rebeliões de escravos da história.



Manoel Congo era um ferreiro, nascido na África, escravo de posse do capitão-mor Manuel Francisco Xavier, dono de centenas de escravos e das fazendas Freguesia e Maravilha em Paty do Alferes.

No dia 5 de novembro de 1838, ao que tudo indica, Manoel Congo, reuniu outros escravos e partiram da Fazenda da Freguesia rumo à Fazenda da Maravilha, pertencente ao mesmo senhor.

Arrombaram portas e furtaram alimentos, reuniram outros escravos, que não sabe-se afirmar se acompanharam os outros, por vontade ou por ameaças.

A revolta dos escravos, começou quando o capataz da fazenda Freguesia matou o escravo africano Camilo Sapateiro e nenhuma punição foi dada a ele.

Lutando por sua liberdade e por justiça, os escravos partiram.

Vistos como um bem comercial e como investimentos das fazendas, a fuga de tantos escravos, era um prejuízo enorme, além das fazendas ficarem completamente desprotegidas.

Francisco Peixoto de Lacerda, solicita tropas e lidera-as para deter a rebelião.

As tropas seguem a Serra Santa Catarina, em Paty do Alferes, em busca dos escravos fugidos.

Um banho de sangue, encerra a luta de Manoel Congo e seus companheiros. Dezenas de escravos são assassinados pelos soldados, e dois soldados são mortos em combate.

Após a “vitória”, o capitão-mor Manoel Francisco Xavier, pede que as tropas se retirem de sua fazenda. É necessário que ele mesmo, pague os custos do advogado que representará os escravos em julgamento.

De acordo com registros, feitos por brancos que acompanharam o caso, Manoel Congo liderou a rebelião e ameaçou outros escravos a fugirem, portando uma pistola. Não se sabe da realidade, já que os registros foram feitos por senhores e por uma justiça branca. Mas sabe-se que Manoel Congo, foi o único condenado à morte, enquanto as mulheres foram absolvidas e os outros escravos, foram condenados à centenas de açoitadas e 3 anos portando correntes no pescoço.

Era necessário apenas um indivíduo para conter qualquer faísca de luta pela liberdade, e desta forma, Manoel Congo foi enforcado para que servisse de exemplo como opressão e domínio dos ideias de liberdade.

Percebemos que até hoje vemos resquícios da escravidão em nossa sociedade. As dores do país que foram varridas para debaixo do tapete.

Toda a herança de sofrimento que a escravidão nos deixou, colhemos com as desigualdades sociais e o preconceito tão notáveis nos dias atuais. É natural nos depararmos com os filhos da injustiça vivida naquela época. As oportunidades favorecem aos brancos, enquanto os negros continuam mantendo, em sua maioria, a sina de seus ancestrais.

O racismo nada mais é do que um sintoma da doença que foi a escravidão. Doença que ainda predomina em nossa sociedade preconceituosa e injusta.

A história de Manoel Congo, é desconhecida até mesmo por pessoas que vivem na região. Lutas são esquecidas, a opressão encontra-se nos dias atuais, quando vemos as oportunidades mal distribuídas entre classes dominantes e minorias hostilizadas.

A saga de Manoel Congo, trata-se do exemplo de histórias mal contadas, a fim de manter o domínio, hoje em dia velado e disfarçado.


“— O depois nunca é como foi imaginado pelos que viviam sob tiranias. A nova ordem republicana não educou os filhos dos escravos. Como cometemos tal erro? Ainda carregamos como uma bola de ferro atada aos nossos pés as cicatrizes desse erro... e ainda estamos aqui, amarrados pelos fios de um novelo que nos constrange. Por que é sempre tão tardia e lenta e limitada a liberdade nesta terra?”
Trecho do livro Tempos Extremos de Míriam Leitão





------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre o Autor:
Liza AlvernazPit Larah |  Facebook - FanPage - Projeto  |   Todos os posts do autor
Autora do livro "Tribo do Amor", estudante de Pedagogia, dona da fanpage "Da tribo do amor" e idealizadora do projeto "Clube Literário Palavras ao Vento". Valenciana de coração, hiperativa por natureza, viciada em livros e séries, exageradamente intensa, um verdadeiro desajuste!




quarta-feira, 22 de abril de 2015

Clube do Livro Saraiva


                                                           Fonte: http://www.oespacoentre.com.br/

Não é muita novidade que eu gosto de livros e de tudo que os envolve: bienal, tarde de autógrafos, palestras, sarau, encontro de amigos literários, debates, enfim, tudo que de alguma forma me faça ficar mais perto da minha maior paixão. Também não é novidade – para quem me conhece melhor – que os meus preferidos (já um tempinho) são da linha "New Adult". Por conta disso, sábado passado fui à Saraiva do Shopping Rio Sul para participar do Clube do Livro, onde o tema era justamente este.



Já tinha ouvido falar do Clube do Livro Saraiva porque alguns conhecidos já tinham ido e feito propaganda nas suas redes sociais. Já tive também a curiosidade de saber como era, mas por muitos motivos (normalmente profissionais) nunca tive a oportunidade de ir, até sábado passado. 

Como o tema era livros "New Adult" e entre eles estava os meus preferidos (Série Belo Desastre e Maddox Brothers) não iria perder a chance de estar perto de outros fãs dos Maddox (futuramente juro que irei escrever sobre todos eles para vocês) e ver o que falariam deles também. E foi uma experiência muito gostosa, que é exatamente o que contarei para vocês agora, mas primeiro falarei um pouquinho a história do Clube do Livro Saraiva.

O Clube do Livro Saraiva acontece todo mês e foi criado e é apresentado pela jornalista Frini Georgakopoulos e a própria explicou como é o Clube: "ele é realizado na Livraria Saraiva do Shopping Rio Sul, no Rio de Janeiro e acontece há cinco anos (fará seis em julho próximo). O Clube aborda diversos livros da literatura mundial. O objetivo é buscar desenvolver o pensamento crítico em seus participantes e desmitificar alguns “pré-conceitos” literários. Não é apenas para falar sobre livros, mas para entender as entrelinhas, para se divertir, fazer novas amizades e descobrir (e aprimorar) o próprio gosto literário. A cada edição, é abordado um tema e diversos livros dentro deste tema. Nada é comentado sem antes ter sido lido e tudo que é lido será criticado por mim e pelos leitores do Clube – de forma construtiva, claro. Ao final do evento, são sorteados alguns exemplares dos livros para os leitores presentes. A entrada é franca". 

A jornalista também explicou que o Clube do Livro de sábado foi um pouco diferente, pois foi fechado somente com o Grupo Editorial Record para falar dos livros New Adult publicados por esta editora. Sendo assim, o Clube de abril contou com a participação da Tita Mirra. Normalmente, os temas são diferentes a cada mês, onde falam de livros de diversas editoras e não somente de uma. 

Bom, apresentado a vocês como tudo começou e aconteceu, é a minha hora de contar como foi a minha tarde de sábado e o que achei da dinâmica de como ocorreu esse Clube.

Fui muito sem ter grande noção do que aconteceria e nem como seria abordado o tema. O mais importante a ser dito aqui é que ocorre de maneira muito natural e descontraída. É claro que tem um roteiro, mas as pessoas podem opinar dos livros, falar o que pensa dos personagens, gritar quando aparece um livro que gostaram muito, fazer perguntas e conhecer novas pessoas com os mesmos interesses, pois ali na hora você acaba puxando assunto com quem nunca viu na vida.

Além disso, foram apresentados para nós quais são os próximos livros que serão publicados pelo Grupo Record e suas editoras, fazendo com que não só fiquemos sabendo das novidades como também já nos deixa preparados para os próximos livros que queremos e iremos ler.

As mediadoras do Clube este mês – Frini Georgakopoulos do cheiro de livro e Tita Mirra  do  rock'n romance – foram divertidas, interagiram o tempo todo com as pessoas, simpáticas e muito abertas a opiniões. Aliás, nada passa por elas. Se perceberem um comentário lá no fundão, elas repetem para todos de forma a fazer com que todos estejam conectados. Sem contar que demonstram mesmo muito prazer e entusiasmo por livros e pelo Clube, o que faz delas alguém bem próximas de nós que estamos participando. Sem contar que ainda teve vídeos, áudios e mensagens das autoras dos livros participantes, que fazem a gente ficar derretidos. 

Outro ponto muito importante do Clube do Livro Saraiva foi a oportunidade de conversarmos com uma Tradutora do Grupo Record, Cláudia Mello Belhassof, que nos contou como é o processo de tradução, suas dificuldades e alegrias. Para quem tem os livros prontos na mão não tem ideia de como o processo para que isso ocorresse não foi simples. Ter a oportunidade de conversar com alguém que faz parte disso é uma experiência muito necessária. Eu dei mais valor ainda para os meus livros depois de ouvir a Cláudia falar. 

O que não posso deixar de mencionar é como achei bastante interessante o fato do Clube ter já seu público certo. Para um país como o nosso que é conhecido pelo fato das pessoas lerem muito pouco, é maravilhoso ver que muitas pessoas disponibilizam tempo para ler e participar de eventos como este que falam de livros. E pelo o que percebi do encontro as pessoas leem muito e estão muito ligadas nas novidades do mundo editorial. Isso mostra que não somos ainda um país de leitores, mas podemos chegar lá. Estamos no caminho certo.

O Clube do Livro Saraiva é algo que quem tem a chance precisa participar. Fui sem esperar muito e já estou aqui me programando para o próximo, que será mês que vem. Quem estiver no Rio ou for do Rio não percam essa oportunidade de diversão e conhecimento. Quero companhia certa para o próximo. Alguém se habilita?




Links para vocês acompanharem o Clube do Livro Saraiva:






----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sobre o Autor:
Liza AlvernazNatalia Menezes |  Twitter  |  Todos os posts do autor
Amante de futebol, música, filmes e livros, sempre foi apaixonada por histórias, seja lá de qual maneira forem contadas. Ama tanto lidar com o abecedário em forma de frases e parágrafos, que acabou se formando em Letras.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©