domingo, 31 de maio de 2015

100 filmes que você precisa ver antes de morrer #6

Olá, tudo bem com vocês?

Semana passada não postei nossas habituais dicas de filmes pois uma bronquite me derrubou e acabei me afastando um pouco do computador. Maaas, estamos de volta e daremos sequência! 

Vamos conferir mais 5 dicas! 

26 - Lembranças


Sinopse: Nova York. Tyler Roth (Robert Pattinson) é um jovem rebelde que não tem uma boa relação com o pai, Charles (Pierce Brosnan), desde que uma tragédia abalou sua família. Ele divide um apartamento com Aidan (Tate Wellington) e com ele sai para uma boate. Ao deixar o local, Tyler se intromete em uma briga. Neil Craig (Chris Cooper), um policial traumatizado pelo assassinato de sua esposa dez anos antes, é chamado ao local. Ele libera Tyler e Aidan mas, após uma provocação de Tyler, lhe dá uma surra e manda prendê-lo. Dias depois, Aidan descobre que Ally (Emilie de Ravin), a filha de Neil, estuda com eles. Ele propõe a Tyler que tente conquistá-la, para se vingar. Inicialmente relutante, Tyler aceita a proposta. Só que, aos poucos, se apaixona por Ally.

Esse filme me surpreendeu positivamente em dois pontos... Primeiro por ter sido o primeiro filme pós-Crepúsculo com Robert Pattinson que assisti (e único) e, como havia ficado aquela impressão de que ele ficaria preso pra sempre na pele de um vampiro com cara de quem está sempre prestes a espirrar, eu não acreditava que ele pudesse ver algo diferente e... bom! A segunda surpresa veio mesmo pelo roteiro: simples, seco e dramática no ponto certo!

27 - Ironias do amor


Sinopse: Charlie Bellow (Jesse Bradford) é uma pessoa realista, que gosta de planejar as coisas antes de realizar algo. Jordan Roark (Elisha Cuthbert) é seu oposto. Logo após se conhecerem, eles se apaixonam. Juntos, enfrentam diversas situações que deveria afastá-los, mas isto não acontece. Com o tempo eles percebem que todos os indícios de que o relacionamento deles não daria certo eram falsos.

Lindo, com boas surpresas e um roteiro criativo e original! Do tipo que da pra rever sem cansar!

28 - Across The Universe


Sinopse: Década de 60. Jude (Jim Sturgees) e Lucy (Evan Rachel Wood) estão perdidamente apaixonados. Juntamente com um grupo de amigos e músicos eles se envolvem nos movimentos da contracultura de sua época, tendo como guias o dr. Robert (Bono) e o sr. Kite (Eddie Izzard).

Um musical, uma história de amor, um filme histórico, lindo, envolvente e todo desenhado através das músicas dos Beatles. Precisa mais? Não.

29 - Tropa de Elite


Sinopse: 1997. O dia-a-dia do grupo de policiais e de um capitão do BOPE (Wagner Moura), que quer deixar a corporação e tenta encontrar um substituto para seu posto. Paralelamente dois amigos de infância se tornam policiais e se destacam pela honestidade e honra ao realizar suas funções, se indignando com a corrupção existente no batalhão em que atuam.

Sou apaixonada por cinema nacional e "Tropa de Elite" não poderia estar de fora de qualquer indicação minha. Indico a sequência também, mas com certeza o primeiro é o melhor e mais ousado filme brasileiro dos últimos tempos. Exagerei? Me deixa. <3

30 - Rei Arthur


Sinopse: Arthur (Clive Owen) é um líder relutante, que deseja deixar a Bretanha e retornar a Roma para viver em paz. Porém, antes que possa realizar esta viagem, ele parte em missão ao lado dos Cavaleiros da Távola Redonda, formado por Lancelot (Ioan Gruffudd), Galahad (Hugh Dancy), Bors (Ray Winstone), Tristan (Mads Mikkelsen) e Gawain (Joel Edgerton). Nesta missão Arthur toma consciência de que, quando Roma cair, a Bretanha precisará de alguém que guie a ilha aos novos tempos e a defenda das ameaças externas. Com a orientação de Merlin (Stephen Dillane) e o apoio da corajosa Guinevere (Keira Knightley) ao seu lado, Arthur decide permanecer no país para liderá-lo.

Quem me conhece sabe que sou simplesmente APAIXONADA pela lenda do Rei Arthur. Não é a toa que meu filho se chama Arthur <3 momento ternurinha. Sendo assim, amo livros que retratam a história deste que, pra mim, é o melhor de todos os 'heróis' e, esse filme é uma ótima adaptação. Recomendo com força!

E aí, gostaram das indicações de hoje? Já viram todos, gostam ou discordam de mim? Opinem!

Beijinhos e até a próxima!


Sobre o Autor: 
Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!

sábado, 30 de maio de 2015

Aquela dos 30: Cantores e Bandas preferidos!

Hoje é dia daquela coluna que a gente AMA fazer pra relembrar e fortalecer tudo aquilo que adoramos! E hoje mostraremos pra vocês nossos cantores e bandas preferidos!!!

Ah, se clicar nome deles serão redirecionados pra alguma música deles no youtube, ok? :) 

Vem!!!




Preferidos de Eliza




3 - Pitty
4 - Cazuza
6 - Vic Lima
10 - Sandy


Preferidos da Natalia



1 - Coldplay
2 - Maroon 5
4 - Thiaguinho 
7 - Djavan
9 - Cazuza


Preferidos da Pit



6 - Pitty
7 - Rita Lee
10 - Jota Quest


Por hoje é só! Espero que tenham gostado. E não deixem de contar pra gente quais são os músicos preferidos de vocês! 

beijinhoos


Sobre o Autor: 
Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Resenha | O Mundo de Sofia (Jostein Gaarder)



"O Mundo de Sofia" - Autor: Jostein Gaarder - Editora: Companhia das Letras  - Páginas: 568


Sinopse: O Mundo de Sofia - Às vésperas de seu aniversário de quinze anos, Sofia Amundsen começa a receber bilhetes e cartões-postais bastante estranhos. Os bilhetes são anônimos e perguntam a Sofia quem é ela e de onde vem o mundo. Os postais são enviados do Líbano, por um major desconhecido, para uma certa Hilde Møller Knag, garota a quem Sofia também não conhece.
O mistério dos bilhetes e dos postais é o ponto de partida deste romance fascinante, que vem conquistando milhões de leitores em todos os países onde foi lançado. De capítulo em capítulo, de "lição" "lição", o leitor é convidado a percorrer toda a história da filosofia ocidental, ao mesmo tempo que se vê envolvido por um thriller que toma um rumo surpreendente.


Começo avisando que esse sentimento literário vai ser bem pessoal. Não vou conseguir me afastar da história e escrever com uma certa distância.

Impactante, complexo e acima de tudo transformador!

Primeiro fiquei bem desequilibrada com o conteúdo e com o mundo novo que eu estava conhecendo. Ao navegar por este livro, fui absorvendo vários conceitos, refazendo alguns, desfazendo outros e construindo minha própria visão de mundo. A cada página, e a cada filósofo que eu conhecia, mas me distanciava dos pensamentos ultrapassados e das visões de mundo que eu tinha. Fui me despindo de mim mesma, e me reconstruindo. No fim, eu me transformei.

Sinto muito não ter lido este livro há uns 10 anos atrás. E por mais que ele tenha sido uma fonte de alimentação da alma e do cérebro, só pude ter certeza de que eu não sei nada sobre nada! Ainda vou me arriscar em falar sobre o mundo, em escrever sobre pessoas, e sobre as relações humanas, mas provavelmente com mais cautela, porque através de O MUNDO DE SOFIA, pude perceber o quanto sou pequena, e o quanto o mundo é grandioso para que eu me aproprie com tanta certeza dos pensamentos dos que me cercam.

Há um bom tempo, estou em mutação! Durante a vida, fui me livrando de várias de mim, e sei a vida é desse jeito. Sei que ainda tenho muito a aprender, e muitas bagagens desnecessárias para me livrar. Mas sinto que fechei um ciclo em minha vida. Terminei uma transformação que começou há algum tempo. E fechei esse ciclo com a leitura deste livro.

A cada novo capítulo, eu me sentia como se estivesse lendo um livro mágico. Parecia que a história era escrita só para mim. O autor falava comigo, e colocava em xeque questionamentos que sempre rondaram meus pensamentos. E enfim, eu pude confirmar o que há um tempo eu desconfiava. De todos os mistérios que constroem o mundo e as pessoas, alguns nunca serão revelados, e não cabe a mim, tentar fazer isso. O que nos cabe é fazermos o melhor a cada dia. Eternizarmos a nós mesmos, através dos pensamentos que deixaremos para nossos herdeiros.

E que eles possam usufruir dos conceitos que construímos e dos pensamentos que arquitetamos. Que esses pensamentos sejam o ponto de partida para infinitas transformações da humanidade. E que a verdade seja cabível a seu próprio tempo. Porque agora eu sei que a verdade é instável! Ela é mutável como nós. Ela depende do tempo de cada geração!

Por isso, eu me despedi desse livro, com a sensação de dever cumprido e com saudade, não apenas das palavras que eu li. Mas da pessoa que eu era nas primeiras linhas dessa leitura. Mas é uma saudade boa, daquelas que a gente não quer deixar de ter. A gente só quer poder olhar para quem foi, e perceber que fez um bom trabalho. Que usou com destreza as ferramentas disponíveis, que lutou por ferramentas novas, e que conseguimos nos transformar em alguém que pensa, alguém que questiona, e que assim, seremos alguém melhor. Consequentemente seremos melhores para o mundo, e deixaremos nossa marca.

Levarei para sempre Sofia e Hilde dentro de mim. Elas serão sempre as referências de quem eu fui e do caminho que segui para chegar até aqui.

“Quando nos damos conta de que não passamos de uma imagem na consciência sonolenta de outra pessoa, acho que o mais adequado é calar-se. Mas posso concluir recomendando aos jovens um pequeno curso da história da filosofia. Dessa forma vocês poderão desenvolver uma visão mais crítica do mundo em que vivem. Mais importante ainda: poderão também criticar os valores da geração dos seus pais”.



Sobre o Autor: 
Liza AlvernazPit Larah |  Facebook - FanPage - Projeto
Autora do livro "Tribo do Amor", estudante de Pedagogia, dona da fanpage "Da tribo do amor" e idealizadora do projeto "Clube Literário Palavras ao Vento". Valenciana de coração, hiperativa por natureza, viciada em livros e séries, exageradamente intensa, um verdadeiro desajuste!

quinta-feira, 28 de maio de 2015

1 filme por semana | 16/53 (O Fabuloso destino de Amélie Poulain)


Olá! Tudo bem com vocês?
Como já foi explicado aqui, agora a coluna "1 filme por semana" é acoplada ao "Desafio dos filmes que encontramos na internet e ainda não temos certeza quanto ao autor (se alguém souber, avise a gente, por favor!)

O tema dessa semana é
 "Reveja um filme que marcou sua adolescência!". O tema da semana é da Pit Larah e vamos conhecer a escolha dela! :) 

"Os tempos são difíceis para os sonhadores!"


O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é uma comédia romântica dirigida por Jean Pierre Jeunet e estrelado por Audrey Tautou como Amélie (na fase adulta).

O filme começa mostrando a infância de Amélie. Filha de um pai introspectivo e uma mãe nervosa, a menina sempre fora dotada de uma imaginação fantástica e a habilidade de fugir para seu próprio mundo. 
Sempre apaixonada pelos pequenos prazeres e admiradora dos pequenos detalhes, Amélie cresceu consciente de sua essência revelada por seu olhar tão intenso sobre as coisas sutis da vida. 

E ela se contenta em ser apenas uma observadora do mundo e de suas delicadezas até que um dia, vendo a reportagem da morte da princesa Diana, ela deixa a tampa do perfume cair, rolando pelo chão, batendo em um rodapé que revela um tesouro escondido por um menino há 40 anos. Composta por objetos repletos de lembrança, Amélie resolve ir atrás do dono da caixa. 

Enfim, ela encontra Dominique Bretodeau, dono do tesouro. Ao ver sua emoção, ela decide ajudar outras pessoas secretamente através de planos simples, mas transformadores. 

Aos poucos, conhecemos o “Homem de Vidro”, Madeline, o quitandeiro, Luciano... todos personagens comuns que compõem essa trama tão incrível! 

Amélie se apaixona por Nino e percebe que o rapaz também é um observador do mundo! E apesar de resolver a confusão da vida dos outros, falta na garota, coragem para resolver as armadilhas do seu coração.
Assim, Amélie decide traçar vários planos para se conectar com Nino, mas sem deixar que ele a conheça. 

O filme é cheio de cenas significativas e emocionantes, porém não espere grandes revelações, dramas intensos e personagens fortes. A emoção é exatamente porque percebemos as coisas simples da vida, a bondade que nos coloca em harmonia com o mundo e com nós mesmos. 

Com uma fotografia linda, esse enredo encantador e atores incríveis, foi indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 2002. 

Por que escolhi esse filme?

Eu precisava falar de um filme que marcou minha adolescência. Eu poderia trazer vários que não possuem nenhum significado além da lembrança de quem um dia fui, mas quis trazer um que me acompanha desde meus 17 anos e ainda desperta o meu melhor, a fé me mim mesma e a força para continuar mantendo o foco nas coisas que amo, mesmo que o mundo inteiro me julgue por tola!

Sua trilha sonora é minha companheira desde então. 

Estou sempre com “La Valse d`amélie”, de Yann Tiersen, por perto. No carro, no celular, no notebook enquanto trabalho, é uma música que está sempre fazendo parte da minha vida, seja em qual fase for pela qual estou passando.

Na época em que assisti pela primeira vez, o filme foi revelador e transformador, porque eu me sentia como a Amélie. 

Sempre usando essa habilidade de se recolher em seu universo particular, apaixonada pela observação do mundo, pelos pequenos prazeres que revelam nossa essência, usando explicações improváveis e imaginando histórias extraordinárias para tudo de simples que a vida nos oferece! 

Um filme sensível, delicado e lindo! Um dos melhores da minha vida e que revela muito de quem sou!

"A angústia do tempo que passa, faz falar tanto do tempo que faz!"

" Madeline: — Acredita em milagres? 
Amélie: — Hoje não!"

"A vida é somente um ensaio interminável de um espetáculo que nunca será representado!"

"Você não tem ossos de vidro, pode suportar a vida!"


Sobre o Autor: 
Liza AlvernazPit Larah |  Facebook - FanPage - Projeto  |   Todos os posts do autor
Autora do livro "Tribo do Amor", estudante de Pedagogia, dona da fanpage "Da tribo do amor" e idealizadora do projeto "Clube Literário Palavras ao Vento". Valenciana de coração, hiperativa por natureza, viciada em livros e séries, exageradamente intensa, um verdadeiro desajuste!




quarta-feira, 27 de maio de 2015

Resenha | Para Sempre uma Lembrança ( D.S.Neves )


"Para Sempre uma Lembrança" - Autor: D.S.Neves - Editora: Sollo Editorial - Páginas: 202


Sinopse: Ashley sempre foi uma garota apaixonada pela dança, desde a infância. Participar de várias disputas como dançarina era parte de sua vida. Sua Paixão. Até o dia em que o seu sonho de vida e família perfeita são destruídos. Anos se passam e Ashley se torna uma estudante de arquitetura. A dança já não faz parte do seu dia-a-dia. Acreditar em amor verdadeiro? Jamais. Mas o que ela não contava, era que um belo rapaz, conhecido como um dos mais charmosos em toda a faculdade, iria mudar sua vida completamente.

Esse livro não é uma literatura fantástica com criaturas sobrenaturais, super-heróis com grandes poderes jamais imagináveis e capaz de salvar o mundo. Não tem tensão e nem vilões de dar medo. Mesmo assim fala de anjos. Não esses anjos de harpas e que vivem nas nuvens e nem anjos caídos que tentam redenção. Mesmo assim, fala de anjos. Você acredita neles? Bom, eu, não sei se os vejo exatamente como os fofinhos, que moram nas nuvens, mas acredito muito nesses que o livro "Para Sempre uma Lembrança" retrata. E acredito que se vocês lerem o livro vão acreditar ou pelo menos querer acreditar neles.

Ashley era uma menina muito feliz, que amava muito a dança e vivia na família perfeita. Até que uma grande rasteira da vida muda tudo isso. A dança perde a paixão, o coração endurece, o pai vira uma grande mágoa, a família fica incompleta, ela deixa de acreditar nos outros e até um pouco nela mesmo. Não vira uma pessoa totalmente sem coração, afinal, ainda tem uma mãezona e dois irmãos incríveis, que são tudo para ela, mas passa a ser uma pessoa com um pé atrás. Muitas vezes, com os dois pés atrás.

Ela tem descendência brasileira (sua mãe e família materna), mas não vem ao Brasil desde a adolescência, quando perdeu a avó e o avô materno. Por isso, a história se passa nos Estados Unidos, onde ela nasceu e viveu toda a sua vida. Mais especificamente, a história se passa quase toda no Campus de sua faculdade, onde ela estuda arquitetura e mora com sua melhor amiga de anos, Michelle, mais conhecida como Mia.

Mia é totalmente ao contrário de Ashley. Toda atirada, sorridente, gosta de curtir a vida. 

Ao chegarem ao Campus, por pura questão de destino (ou sorte ou mãos de Deus ou o Universo à favor ou qualquer coisa do tipo), William, ou simplesmente Will, um estudante de engenharia perfeito, dono do sorriso mais lindo do mundo, coração de outro e capitão do time de Futebol Americano da Universidade, entra na sua vida porque deu sem querer uma bolada em Ashley. Ela, sem saber do quanto ele é especial, acaba arrumando uma "briga" com ele por conta da bolada e é a partir daí que suas vidas ficam entrelaçadas para sempre. Por pura sorte de Ash (como ela é chamada pelas pessoas próximas).

Não demorou muito para que Ash fizesse amizades em suas aulas. As primeiras foram Noah e seu namorado Mike. Pessoas muito do bem, foram sempre amigos de verdade e, principalmente Noah, é um personagem secundário hilário. Outro personagem secundário que nos conquista é Ian, melhor amigo de Will e também jogador do time da Universidade, faz as meninas pirarem, inclusive Mia. Fiz esse parágrafo para apresentá-los por dois motivos: o primeiro porque a autora fez com esses personagens fossem muito bem construídos e bem desenvolvidos e aproveitados no enredo. Segundo, porque essa é também uma história de amizade, então, esses amigos de VERDADE precisam ser exaltados.

Mas voltando para Will e Ash...

Mesmo já fazendo amizades, o jogador de futebol não sai da sua vida. Novamente o destino entra em ação e os coloca numa mesma disciplina. Ela que achava estar livre dele, nem imaginava que agora ele passaria ser parte dela. Com o passar do tempo e muita insistência de Will, que percebe que Ashley é diferente desde o momento que a conheceu, os dois se aproximam e viram grandes amigos.

Só que viver como um homem como ele e não se apaixonar é muito difícil. Ele não é mesmo só um rostinho e corpinho bonito, e nem só um garoto muito popular na faculdade. Com o tempo, ela percebe que ele é uma das pessoas mais maravilhosas que ela conheceu na vida: inteligente, carinhoso, engraçado, otimista, caridoso e pronto para fazer todos a sua volta feliz. O coração tão duro e sofrido de Ash balança, se rende e se apaixona. De início, com medo de soltar as amarras de suas decepções, ela luta contra esse sentimento, mal sabe ela que ele sente o mesmo e passou a viver por ela.
É justamente ele que trás de volta tudo que ela perdeu, tudo que ela deixou escapar, tudo que ela já não acreditava e tudo aquilo que ela deixou de sonhar. Foi ele que trouxe luz, sorrisos, gargalhadas, corações disparados, amizade, amor, dedicação, a dança, um novo sopro de vida para aquela garota que tinha perdido um pouco da sua força para as dores que o passado cravou. E ela reaprendeu, reacendeu, reanimou todas as suas forças, suas paixões, sua vontade de viver e acreditar nos sonhos. Ele foi o seu anjo, aquele anjo que falei no início do texto, e ela foi salva pelo amor.

Esse livro poderia ser só mais um New Adult gostoso e fácil de ler, com um romance divertido, personagens lindos, sorrisos sinceros, muitos "Owwwwwnnnnnn" e deixar seu coração repleto. Ele até é tudo isso, mas ele também é muito mais. É um livro de superação, redenção, fé, amor, amizade, sonhos, vida, perdão, família, princípios, de anjos em forma de pessoas, que vem para a sua vida para te trazer a mais simples e genuína felicidade. Ele poderia ser mais um desses muitos New Adult que eu amo, mas "Para sempre uma lembrança" veio para me marcar profundamente.

Inclusive, quando comecei a ler o livro achei que o nome fosse por causa da dança e só no final entendi que era um motivo muito além, mais forte e mais profundo. Aliás, quando você chega ao final, é que percebe que o livro é cheio de entrelinhas. Alguns pedaços do quebra-cabeça ficam ao longo do texto e só lá no finalzinho você junta tudo e consegue ver a imagem, nesse caso, a mensagem real da história.

Vou admitir: é um livro, afinal, triste, pois tem um final triste. Chorei muito (muito mesmo. Só não coloco a foto aqui porque estou com cara de brócolis em decomposição rs) e não queria esse final. Não porque ele não faça sentido ou porque ele estrague a história, pelo ao contrário, esse final que faz todas as lições do livro serem abertas para nós e faz a Ashley aprender a reviver, mas mesmo assim foi muito sofrido para mim.
Confesso também: até dormi mal pensando em tudo que passei lendo essas páginas e, de verdade, esse livro ainda não saiu de mim. Eu terminei, mas as reflexões, o coração apertado e a emoção ainda estão bem vivos em mim.

Já li alguns livros este ano e lerei mais alguns ainda. Sei que ainda vou gostar de muitas outras histórias e que ainda estamos em maio, mas, sem sombra de dúvidas, se no final do ano eu fizer uma lista dos melhores, "Para Sempre uma Lembrança" estará presente.
D.S. Neves, ou simplesmente Day (eu me achando íntima da autora rs), obrigada pela ressaca literária. Seu livro é daqueles que valer a pena é uma expressão muito corriqueira para ele, mas por falta de uma melhor, é o que posso dizer. E desculpa a minha mensagem de madruga, chorando, quando eu terminei de ler o livro. Precisava contar o quanto amei.

O Will não existe de verdade. Eu não estarei com ele algum dia. No entanto, ele me marcou muito. Acho que nunca vou conseguir esquecê-lo. Eu posso fechar os olhos, que consigo imaginar seu sorriso, sua gargalhadas, suas lágrimas e seu olhar cheio de luz. Volto a dizer: ele não é um CEO milionário, um bad boy que acaba com corações e nem um super-herói de deixar pernas bambas. Ele é um anjo. Um anjo humano, simples e único.


"Mas a vida tem dessas coisas. Idas e Vindas. Mudanças. Vitórias. Derrotas. Alegria. Tristeza. Um mar de possibilidades e expectativas." (Para sempre uma lembrança - Página 171)


Sobre o Autor:
Liza AlvernazNatalia Menezes |  Twitter  |  Todos os posts do autor
Amante de futebol, música, filmes e livros, sempre foi apaixonada por histórias, seja lá de qual maneira forem contadas. Ama tanto lidar com o abecedário em forma de frases e parágrafos, que acabou se formando em Letras.

sábado, 23 de maio de 2015

Aquela dos 30: Coisas que aprendemos antes dos 30!

Chegou o dia de mais um "Aquela dos 30" e hoje vamos citar 30 coisas que aprendemos antes dos 30...



Eliza aprendeu...

1 - A importância da Sororidade.
2 - Que não importa o que aconteça, "continue a nadar".
3 - Que "sexo sem amor é vontade"
4 - Que pensar por si só e não se anular, pode afastar pessoas. E tudo bem.
5 - Que não importa o quanto eu exija de mim no trabalho, ele não depende só de mim.
6 - Que exercer, no trabalho, aquilo que a gente não acredita, é frustrante.
7 - Que eu posso ser o QUE e QUEM eu quiser.
8 - Que Neosoro é vida!
9 - Que reciprocidade é fundamental.
10 - Que, mesmo quase nos 30, ainda cometo erros dos 20, tenho sonhos dos 15 e faço bico dos 8.

Natalia aprendeu...

1 - Que eu vim no mundo para ser feliz.
2 - Que a gente não pode ter tudo na vida, mas os sonhos só se realizam se corrermos atrás deles.
3 - Que preconceito é algo inadmissível.
4 - Que verdades magoam mais do que mentiras e, por isso, as pessoas ainda preferem as mentiras, mesmo que peçam da boca para fora as verdades.

5 - Que livros, chocolate, futebol, samba, frappuccino e Internet são vida.
6 - Que o essencial é mesmo invisível aos olhos.
7 - Que a dor é necessária; não dá pra ser feliz o tempo todo.
8 - Que amizade é a forma de amor mais sincera, pois você é verdadeiramente amigo de quem você ama: Família, vizinhos, amigos de escola, amigos de faculdade, namorado(a), amigos de jogos, de Internet, Deus...
9 - Que você tem que ser sempre você mesmo. Nem todo mundo vai gostar, mas as pessoas certas irão valorizar.
10 - Que no nosso mundo valores não estão distorcidos; eles simplesmente estão sumindo.

Pit aprendeu...

1- Ser mãe
2- Cuidar de mim
3- O limite da minha paciência
4- Cozinhar
5- Namorar
6- Fazer pirraça
7- Falar palavrão
8- Ser muito ansiosa
9- Falar besteiras
10- Saber a hora certa de entrar em uma briga

E aí, gostaram? E vocês, o que já aprenderam até hoje? :) 


Sobre o Autor: 
Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Resenha | Sombras do medo (Camila Pelegrini)


"Sombras do Medo" - Autor: Camila Pelegrini - Editora:Garcia Edizioni - Páginas: 200


Oi pessoal! Quero contar para vocês o que achei dessa distopia! E confesso que me surpreendi! 
Inicialmente tive um pouco de medo de me decepcionar, já que amo tanto Laranja Mecânica e Admirável Mundo Novo. 
Mas logo, percebemos que a proposta de Camila Pelegrini, é bem diferente!
O livro já te prende de cara e nos damos conta de que não precisaremos comparar a obra com os dois clássicos incríveis citados acima (ufa! Que alívio!) 
A linguagem, a história e a narrativa formam um livro muito mais doce e delicado, mas não menos reflexivo! 
Camila Pelegrini entra no universo literário com o pé direito! O livro Sombras do Medo, é uma história interessante e gostosa! 

“— Os instrumentos usados para subjugar alguém são encarados de forma distinta por aqueles que dominam e por quem é dominado. As muralhas são só a confirmação, a concretude de algo muito maior: o desprezo que o homem sente por sua própria espécie, por outras e pelo planeta em si." (p.37)

E se o mundo fosse dividido entre os que trabalham para sobreviver e os que ganham poder e riqueza em cima do trabalho dos outros? Qualquer semelhança com a realidade, não é mera coincidência!
O livro Sombras do Medo, traz uma proposta diferente! Uma distopia, que ultrapassou minhas expectativas. Esperei encontrar um livro recheado de críticas sociais, como costumamos ver normalmente, porém a autora ousa e mistura crítica social com fantasia, e o casamento funciona muito bem!
Trata-se de um tempo onde os recursos naturais do nosso planeta, estão escassos! A humanidade foi dividida em ordinários e singulares.
Aos ordinários resta o dever de trabalhar para que os singulares usufruam.
Uma muralha separa as duas classes.
Anabele, é uma ordinária que tenta manter a esperança! Vive com sua mãe, Amanda. Flerta com Henry enquanto o melhor amigo Vincent, fica louco de ciúmes! 
Tudo começa a piorar, depois que ordinários começam a desaparecer e o caos em que o planeta se encontra, parece aumentar a cada dia!
Criaturas desconhecidas, começam a dominar o mundo e aos humanos, restam poucas chances de sobrevivência!
A narrativa do livro é muito envolvente e a autora consegue manter nosso ritmo de leitura!
Através de uma linguagem leve e fluida, somos atraídos pela história desde a primeira página!
As investidas de Henry, são deliciosas! A mocinha é forte mesmo com toda a sua doçura! Ironia e sarcasmo compõem o flerte!

“Uma menina bonita me salvou e agora é com ela que pretendo passar o resto da minha vida, seja ela somente o restante dessa noite ou todos os anos que estão pela frente.” (p.159)

A reflexão que o livro promove é bastante significativa. Se pudermos olhar tudo o que nos é apresentado e retirarmos toda a ficção, observamos que nossa sociedade não está diferente do que aquela que conhecemos em Sombras do Medo!
A humanidade não consegue conviver com as diferenças e enxergar o outro com direito de igualdade! Os ricos ficam cada vez mais ricos e detentores do poder, enquanto pobres trabalham para garantir seu sustento e se mantém como dominados!
O egoísmo e a insensibilidade crescem a cada dia e o mundo parece estar afundando em escuridão!
A maldade ganha força e é alimentada todos os dias, pelos que a promove e pelos que se calam!
E assim, a aventura nesse mundo ficcional coloca em evidência preconceitos velados e valores que são esquecidos cada dia mais facilmente!
Então, se joga na leitura e não precisa achar que está traindo as distopias clássicas! Permita-se conhecer Sombras do Medo e deguste de uma leitura deliciosa!!!

 “Os humanos são assim, sempre haviam sido assim desde o início, bem sabiam eles. E isso era o que os tornava tão especiais e ao mesmo tempo tão perigosos.
Eram capazes de construir igrejas do diabo e não sustentá-las por terem tamanha fé em Deus, ao mesmo tempo em que podiam fazer o inverso.
Tinham em si todos os sentimentos do mundo, conflitantes ou não, e eram capazes de alimentar todos eles, fazendo-os crescer, tornando-os impossivelmente somente bons ou maus.” (p.155)


Sobre o Autor: 
Liza AlvernazPit Larah |  Facebook - FanPage - Projeto
Autora do livro "Tribo do Amor", estudante de Pedagogia, dona da fanpage "Da tribo do amor" e idealizadora do projeto "Clube Literário Palavras ao Vento". Valenciana de coração, hiperativa por natureza, viciada em livros e séries, exageradamente intensa, um verdadeiro desajuste!

1 filme por semana | 15/53 : Meu primeiro amor

Olá!!! Vocês já sabem que quinta é dia de "1 filme por semana"... Mas não sabem ainda que fizemos algumas alterações nessa coluna. Agora, além de vermos 1 filme por semana e contar sobre ele aqui pra vocês, também iremos seguir uma lista pré-definida de um desafio de filmes que encontramos na internet. Não consegui encontrar quem criou o desafio então, se alguém souber, conta pra gente nos comentários, por favor!

Nos revezamos e cada autor aqui do Blog ficará com um tema por semana. O primeiro tema é:

"Reveja um filme que lembre a sua infância" e o filme escolhido foi: "Meu primeiro amor" 




Sinopse: Vada Sultenfuss (Anna Chlumsky), uma garota de 11 anos, é obcecada com a morte, pois sua mãe morreu e seu pai, Harry Sultenfuss (Dan Aykroyd), é um agente funerário que não lhe dá a devida atenção. Vada é apaixonada por Jake Bixler (Griffin Dunne), seu professor de inglês, e no verão faz parte de uma classe de poesia só para impressioná-lo. Paralelamente é muito amiga de Thomas J. Sennett (Macaulay Culkin), um garoto que é alérgico a tudo. Quando Harry contrata Shelly DeVoto (Jamie Lee Curtis), uma maquiadora para os funerais, e se apaixona por ela, Vada se sente ultrajada e quer fazer qualquer coisa que estiver em seu poder para separá-los.

Quem nunca teve um amor de infância? Mesmo aqueles mais bobinhos, mas que ainda arrancam sorriso do rosto ao lembrar da pureza e da inocência divertida daquele momento? Quem nunca teve um grande amigo de Infância, capaz de marcar a sua vida inteiramente, mesmo que esse já não esteja nela? Acho que todo mundo, ou quase todo mundo. Este filme fala justamente da junção desses dois elementos: o amor tão ingênuo, mas gostoso da infância e do amigo querido que viveu, marcou e jamais sairá da sua história.

Vada e T.J. são inseparáveis. Amigos desde sempre (pelo menos é a impressão que o filme passa), estudam, se divertem, passam os dias e horas, as incertezas, gostosuras e desgostos da infância juntos. Os verdadeiros amigos do peito. Eu diria até da alma. Ele atura o jeito mandão de Vada e ela o atura com todas as suas alergias. O que parece uma história boba, vira uma história muito singular.

A menina sofre com a perda muito prematura da mãe - que morreu no seu parto - e as dificuldades que é ser criada só pelo pai e tio - pois a avó já é muito idosa. Seu pai é um homem de negócios, voltado totalmente para sua funerária. Não chega a ser um pai ruim, mas também não é dos mais carinhosos. Mesmo assim, é o que ela tem e, por isso, ela preza por sua família. Com a chegada da maquiadora Shelly tudo muda. O coração do pai antes tão endurecido pela vida volta a se derreter e as emoções de Vada ficarem instáveis. O que faz com que T.J. mais uma vez mostre sua grande e fiel amizade.

Para tentar mostrar a maquiadora de quem é a família, a menina passa a tentar de tudo, inclusive, se espelhar na própria Shelly ao cismar em conquistar seu professor, por quem é apaixonada. Outro ponto também muito marcante de muitas infâncias. Afinal, quantos de nós realmente acreditamos na primeira fase da vida que aquela pessoa já adulta é o amor de nossas vidas e que um dia ficaremos juntos para sempre? 

Só que em meio a toda essa confusão emocional, Vada acaba tendo um perda irreparável e insubstituível. Aquele a quem ela mais confiava, guardava, talvez até amada se foi sem se despedir, sem que ela pudesse dizer em palavras o quanto ele era muito importante para ela. T.J. vai deixando um lugar no coração dela como amigo, companheiro, confidente e um grande amor. Parece até estranho falar disso ao se tratar de duas crianças, mas é exatamente assim que acontece, de uma forma leve, fácil e muito simples. Às vezes, na vida, não temos tempo de dar valor a quem merece nosso melhor. E, sem sombra de dúvidas, a "despedida" de Vada e T.J. é uma das cenas mais lindas, tristes e comoventes que eu já vi num filme.

Por incrível que pareça, é também a perda de seu melhor amigo que faz Vada perceber as pessoas e amadurecer alguns sentimentos, deixando de lado tudo aquilo que a atormentava e consumia. É uma história de amor, amizade, resgate, lições, família, esperança, valores. É uma história digna de um Primeiro Amor.





Sobre o Autor:

Liza AlvernazNatalia Menezes |  Twitter  |  Todos os posts do autor
Amante de futebol, música, filmes e livros, sempre foi apaixonada por histórias, seja lá de qual maneira forem contadas. Ama tanto lidar com o abecedário em forma de frases e parágrafos, que acabou se formando em Letras.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Resenha | Série Hush Hush (Becca Fitzpatrick)

Em 2013, ainda mais para o início do ano, a Submarino fez uma daquelas promoções malucas e acabei comprando a série Hush Hush (Sussurro,Crescendo, Silêncio e Finale) da autora Becca Fitzpatrick. Ao longo do ano foi difícil de ler porque era uma saga e corria o risco (por conta do trabalho) de demorar em ler cada livro ou até de um para outro. Pois bem, aproveitei as férias de 2014 para finalmente ler.



Sinopse: Nora Grey é uma garota extremamente responsável e estudiosa, que sempre faz as coisas certas. Mantendo planos para conseguir entrar numa boa faculdade, Nora vê sua vida mudar drasticamente com a chegada de Patch, seu novo parceiro de biologia, extremamente atraente e misterioso, que parece saber mais sobre sua vida do que ela mesma. Impulsionada a descobrir mais sobre seu passado e sobre seu comportamento misterioso, Nora passa a investigar Patch, e a inevitavelmente se aproximar dele, sem saber que estaria colocando sua vida em risco. Mais tarde, Nora descobre que Patch é na verdade um anjo caído do céu por cobiçar a vida humana, e que aparentemente deseja matá-la por causa de sua descendência Nephilim e ter um corpo humano próprio. No entanto, os dois acabam se apaixonando, o que coloca suas vidas em perigo já que um Nephilim (criatura feita a partir da relação de anjos caídos com seres humanos) deseja vingança com Patch.

O primeiro livro da Série intitulado “Sussurro” eu classificaria como tenso. As relações ali estabelecidas, todo um ar muito misterioso e carregado e com o desfecho que teve, não poderia causar em seus leitores algo que não seja tensão. É óbvio que de alguma forma o casal já mexe com você nesse livro e nos deixa muito curiosos como se desenrolará aquela história. É um final de livro de tirar o fôlego, o que te deixa ainda mais curiosa com o que pode vir daqui para frente. É instigante, comovente e cheio de grandes emoções.

O segundo livro, “Crescendo”, já não tem tanta tensão como o primeiro. Evidentemente, que não perde todo o ar misterioso, mas já tem relações amorosas bem adolescentes com muito ciúme e raiva desenfreada, que faz com que tenha mais suavidade a história. Nesse livro me envolvi mais com o casal, confesso, e posso dizer que começou uma torcida para que eles ficassem juntos. Não sei se foi uma recaída adolescente minha ou realmente o gosto por romances (ou as duas coisas), mas o segundo livro me causou uma impressão melhor e fez a minha curiosidade continuar aguçada. Gostei do desfecho! Ponto para a autora!!

Quando chegou o terceiro livro “Silêncio” pensei: e agora? Como a Becca vai fazer para se manter firme na história sem se tornar chata? Aí que está! A artimanha usada pela autora me fez ter preguiça de ler os 3 ou 4 primeiros capítulos, mas depois me dei conta que foi exatamente isso que fez  “a peteca não cair”. Ela foi criativa, ousada, pois corria o risco de se perder, mas segurou firme a história, de forma a controlar a nossa atenção e conseguiu terminar o livro como se parece o fim da história toda. Mas só parecia.

No quarto e último livro que recebeu o nome de “Finale”, novamente a escritora usou de muita inteligência e criatividade e conseguiu dar um fim digno a história e ao romance de Nora e Patch. O finalzinho, em si, pode parecer um pouco parado. Mas diante e toda a adrenalina e ação ocorrida durante os 4 livros, bem, um final mais suave, ao meu ver, fechou com chave de ouro.

É claro que a série teve seus problemas. Algumas lacunas, eu diria até bobas, não preenchidas, como por exemplo, a mãe da nora ser existente em alguns momentos e outros ela sumir (quem já leu ou lerá entenderá o que estou falando), mas nada que atrapalhe a história. Por completo, esta foi muito bem desenvolvida, amarrada e escrita.

Não vou dizer que estão na lista dos meus queridinhos. Para ser muito sincera, fui levada o tempo todo pela curiosidade e não pela emoção. Não foi daqueles livros que me apaixonei, mas posso dizer com certeza que valeu muito a pena. Muito diferente de tudo que já li, muito criativo e com um bom toque de romance daqueles que ganham torcidas, que me fazem sempre muito bem. É um livro que mostra muito mais do que uma história fantástica ou surreal, mostra questões como amizade, caráter, traição, diferenças, respeito e intuição. Fiquei com ressaca literária e saudades desse universo tão diferente, mas conquistador para mim.

Os fãs de séries com um bom tom fantástico deveriam ler. Acredito que se envolverão bastante. E para os fãs do verdadeiro amor... leiam também! Tenho certeza que Nora e Patch mexerão com vocês de alguma maneira positiva.

E para quem não sabe, a Série pode vir a virar filme, pelo menos há o projeto,o que muito me deixa feliz. Apesar dos filmes não serem tão fiéis aos livros, essa é uma boa história digna de um grande evento cinematográfico. Curiosa para ver os filmes!!



Link sobre o possível filme, aqui!

Sobre o Autor:

Liza AlvernazNatalia Menezes |  Twitter  |  Todos os posts do autor
Amante de futebol, música, filmes e livros, sempre foi apaixonada por histórias, seja lá de qual maneira forem contadas. Ama tanto lidar com o abecedário em forma de frases e parágrafos, que acabou se formando em Letras.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©