sexta-feira, 24 de julho de 2015

Resenha | A Águia e a Galinha (Leonardo Boff)





O livro “A Águia e a Galinha” trata-se de uma metáfora da condição humana, onde o autor usa uma midraxe-hagadá, que é um aprofundamento de uma história. É dividido em 7 capítulos e possui 208 páginas e um glossário no final. Publicado em 1997 pela editora Vozes, o livro conta a história de uma águia que era criada com as galinhas e havia se “esquecido” de sua natureza e acreditado que era realmente uma galinha, até que um naturalista a ajuda a se enxergar como águia. 

Leonardo Boff usa a história “A Águia e da galinha”, contada por James Aggrey em Gana em meados de 1925. Onde o educador e político tentava libertar a consciência de seus compatriotas, que rendiam-se à crença de que eram inferiores. 

James Aggrey usou essa metáfora para instigar os Africanos à libertação do domínio colonial inglês.

E então, Leonardo Boff, se aprofunda na história, de uma forma filosófica, nos mostrando como somos capazes de sermos águias e galinhas e a necessidade que temos de possuirmos asas gigantes e um instinto de liberdade, mas também raízes que nos mostram o conforto de casa. 

Através das palavras de Boff, entendemos como os oprimidos agem apenas como galinhas e os opressores agem apenas como águias. 

Comparações entre moral e ética, corpo e alma, e caos e cosmos, nos mostram que precisamos nos conectar às nossas duas potencialidades. Precisamos manter o equilíbrio para almejar sonhos e utopias que não nos permitem acreditar que podemos menos que somos capazes. A esta nossa faceta, o autor chamou de Águia.

Nosso lado galinha precisa existir para que possamos saber nossas raízes, de onde viemos, e manter nossa humildade e humanidade. 

Somos capazes de romper barreiras, e de termos uma tradição cultural. Essas duas capacidades se complementam e formam seres humanos mais humanos e conscientes de seus poderes de transformação. 

Vivemos em tempos onde os opressores deixaram reinar apenas seu lado águia e se despiram de seu lado galinha. Almejam uma sociedade desprovida da habilidade de pensar e apelam à homogeneização. Querem apagar nossa vocação em sermos águia, porque galinhas são mais vulneráveis a serem dominadas, a manter-se sem utopias e sem a habilidade de sonhar e criar. 

Se contextualizarmos essa metáfora para o âmbito escolar, podemos transformar uma educação que rema contra a maré. As escolas, pretendem abrigar galinhas que se contentam com todas as regras e se limitam a serem todas enraizadas e impossibilitadas de olharem para o céu. 

O livros nos mostra como precisamos possuir um amor incondicional para que não sufoquemos os outros. Amar sem esperar nada em troca. Um amor pela educação, pode transformar gerações. Mestres são aqueles que buscam o equilíbrio entre seu lado águia e seu lado galinha, são aqueles que podem servir de figuras exemplares porque entendem que sua missão é nos ensinar que devemos cuidar de todas as nossas dimensões (corporal, mental e espiritual). E quando os educadores se dão conta disso, entendem que a escola é mais do que uma reprodutora cultural ou uma transmissora de conteúdos, a escola precisa ser um lugar de transformação, uma promotora da humanidade. 

Se todo o universo está interligado e se ajudam reciprocamente, a educação precisa enxergar essa parceria dentro das escolas. Educadores precisam se enxergar como parceiros e como uma equipe. A educação precisa estar preparada para ser raiz e para ensinar a voar. 

Enfim, um livro que promove muitos debates internos e que pode ser repensado em diversos setores da vida. Indicado para pessoas que pretendem entender sua existência e nossa capacidade de libertação e de superação, o poder que temos de deixarmos de ser oprimidos e nos tornarmos revolucionários. 

O autor Leonardo Boff, pseudônimo de Genézio Darci Boff, é teólogo, escritor e professor, além de ser ex-membro da ordem dos franciscanos.Autor de mais de sessenta livros ligados à teologia, à filosofia, à espiritualidade e à ecologia, e membro da Comissão da Carta da Terra. Em 2002, ganhou o prêmio Nobel alternativo para a paz.



_____________________________________________________________________________________________
Sobre o Autor: 
Liza AlvernazPit Larah |  Facebook - FanPage - Projeto
Autora do livro "Tribo do Amor", estudante de Pedagogia, dona da fanpage "Da tribo do amor" e idealizadora do projeto "Clube Literário Palavras ao Vento". Valenciana de coração, hiperativa por natureza, viciada em livros e séries, exageradamente intensa, um verdadeiro desajuste!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©