segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Resenha | Passarinha (Kathryn Erskine)




Título: Passarinha
Autor: Kathryn Erskine
Editora: Valentina
Número de páginas: 224



Sinopse: No mundo de Caitlin tudo é preto ou branco. As coisas são boas ou más. Qualquer coisa no meio do caminho é confuso. Essa é a máxima que o irmão mais velho de Caitlin sempre repetiu. Mas agora Devon está morto e o pai não está ajudando em nada. Caitlin quer acabar com isso, mas como uma menina de onze anos de idade, com síndrome de Asperger ela não sabe como. Quando ela lê a definição de encerramento [desfecho] ela percebe que é o que ela precisa. Em sua busca por ele, Caitlin descobre que nem tudo é preto ou branco, o mundo está cheio de cores, confuso e bonito.




Oi genteeee, tudo bem com vocês? 

Sabe aquela história de "julgar o livro pela capa"? Faço isso muitas vezes, confesso. Não deveria, eu sei. Bem provável que eu perca leituras brilhantes por esse hábito, vez ou outra, assim como acabo por ler coisas não tão boas apenas com capas interessantes...

Mas, algumas vezes, o conteúdo atende bem a expectativa que criei inicialmente!

Se não é por indicação de pessoas de confiança, sinopse ou referências dadas na internet da vida, é mesmo pela capa que escolho algumas leituras. 

Passeando entre capas de alguns e-books, deparei-me com "Passarinha", de Kathryn Erkine. Não conhecia a autora, não tinha ouvido falar nada do livro ainda, mas a capa me intrigou...

Estava decidido então, minha leitura da semana!


"O bom dos livros é que as coisas do lado de dentro não mudam. As pessoas dizem que não se pode julgar um livro pela capa, mas isso não é verdade porque a capa diz exatamente o que tem dentro."


Já nas primeiras páginas, temos uma "Nota da Tradutora". Fato que chamou minha atenção, já que normalmente contamos com as já famosas notas de rodapé.

De cara as palavras da tradutora me prenderam atenção. Para explicar o que fez com a tradução de Passarinha, ela nos entrega pontos importantes da história e temi que fossem spoilers. Mas não são, pelo contrário, falarei desses pontos aqui também.

Heloísa Leal fez um trabalho incrível nesta tradução, fazendo alterações precisas sem jamais perder o sentido e, principalmente, a sensibilidade.

Eu sempre defendo que o bom tradutor é aquele que você não percebe na obra. Aquele que encarna o autor e que nos faz pensar que o próprio traduziu. Mas o que Heloísa fez em "Passarinha" foi de uma inteligência tão grande, que merece o devido destaque nesta resenha e em qualquer outro lugar que venha ser citado o livro.
"Passarinha" é um romance, narrado em 1ª pessoa, através de uma menina de 10 anos que possui "Síndrome de Asperger".


"Livros não são como pessoas. Livros são seguros!"


Pra quem não sabe, esta síndrome foi incorporada recentemente ao TEA (Transtorno do Espectro do Autismo), sendo considerada desde 2013 como uma forma branda do autismo.
Crianças com Asperger apresentam sintomas já nos anos iniciais de vida. Geralmente são "crianças com dificuldade de sociabilização, linguagem rebuscada para a idade, atos motores repetitivos (tiques) e interesses muito intensos e limitados apenas por um ou poucos assuntos"  (Fonte).

E assim é nossa protagonista. Caitlin estuda em um colégio regular e, já tendo perdido a mãe para o câncer, inicia a história tendo perdido seu porto seguro: Devon, o irmão mais velho e, também, aquele mais entendia a irmã e seu modo diferente de ver a vida! Era Devon quem explicava e ensinava coisas novas a Caitlin, com um jeito especial e de extrema paciência e amor.

Com apenas 13 anos, foi baleado em uma tragédia em seu colégio, não sobrevivendo e deixando Caitlin e seu pai sozinhos no mundo!
A autora se inspirou em uma tragédia real, ocorrida no ano de 2007 e conhecida como "O Massacre em Virginia Tech", aonde um estudante assassinou 32 pessoas e suicidou-se em seguida.

Em "Passarinha", 3 pessoas foram mortas, entre elas, Devon.

Em uma "nota da autora", Kathryn faz a seguinte justificativa:

“Este livro foi inspirado na tragédia da Virginia Tech e também na minha necessidade de explicar como é, para uma criança, ser portadora da Síndrome de Asperger. Os dois temas estão relacionados em meu modo de ver, porque creio firmemente na intervenção precoce, qualquer que seja a deficiência. Compreender as dificuldades das pessoas e — igualmente crucial — ajudá-las a compreender suas próprias dificuldades e ensinar-lhes maneiras concretas de ajudar a si mesmas irá, por sua vez, ajudá-las a lidar melhor com suas próprias vidas e, por extensão, com as nossas. (…) Espero que, vendo o mundo pelos seus olhos, os leitores possam compreender comportamentos aparentemente bizarros. E espero que os leitores sintam que, vendo o mundo pelos olhos de alguém, e realmente compreendendo aquela pessoa, muitos mal-entendidos e problemas podem ser evitados — mal-entendidos e problemas estes que também podem levar a uma frustração crescente e, às vezes, até à violência”


E é com a lembrança dessa tragédia que "Passarinha" começa a se desenhar.

Caitlin conta agora apenas com a ajuda de uma Orientadora Pedagógica no colégio em que estuda para aprender a socializar-se melhor, já que seu pai também não está em seu estado de total equilíbrio, tendo de cuidar de Caitlin e enfrentar a dura perda do filho.

Entre tantas coisas, a Sra. Brooks tenta ensinar Caitlin o conceito de empatia para tentar com que a menina coloque em prática em seu dia a dia.

Como sou educadora, essa personagem me cativou de uma forma instantânea pois aprendemos em cada página o real sentido de educar. E ela o faz, acima de tudo, com muito amor.



"Eu estou falando de pessoas e de aprender a se relacionar com elas.
Eu sei fazer isso. Eu as deixo em paz!"


Ao decorrer da história, conhecemos uma Caitlin consciente de que é diferente dos demais colegas, certa de que necessita de apoio para melhor lidar com todos ao redor, mas que se recusa a ser tratada como doente, autista ou qualquer coisa que fuja da compreensão que tem de si mesma.

Caitlin é forte, determinada e muito inteligente. Ao se deparar com a palavra "desfecho" em dado momento, não descansa até conseguir um bom significado para ela e, feito isso, percebe que é o que ela e o pai necessitam após a morte de Devon.

A história segue, então, com Caitlin buscando tal desfecho. Em pouco mais de 200 páginas, conseguimos aprender muito com o universo pessoal dessa menina encantadora.
Iremos também nos identificar ao perceber que sentir empatia é desafiador para qualquer um, não só para quem é portador de alguma síndrome.

Caitlin vai superando um obstáculo por vez e, nós, nos envolvendo cada vez mais. 
Fechei o livro com um sorriso no rosto. Com uma sensação de plenitude literária que há algumas leituras não me ocorria!

A narrativa da autora, feita em 1ª pessoa é um ponto importante para que tudo seja tão especial como é, já que ao ver pelos olhos de Caitlin nos aproximamos mais de seu modo de viver e entender tudo ao redor.




"Eu gosto de coisas em preto e branco. Preto e branco é mais fácil de entender. Cor demais confunde a cabeça da gente."


Mesmo tendo dito que Caitlin é nossa protagonista, faço aqui um adendo: a grande protagonista deste livro é a "Palavra". A obra de Katryn é toda construída com um jogo de palavras incrível que se conecta durante toda a leitura.

Finalizando, "Passarinha" é um livro de leitura fácil, rápida, mas que com certeza vai te acompanhar por muito tempo!

E aí, gostaram? Não deixem de ler. Esse é daqueles que "recomendo com força"! E, assim sendo, vocês já sabem o quanto significou e mexeu comigo!

Beijinhos e até o próximo post!



Sobre o Autor: 



Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!




Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Olá!!! Li sua resenha de "O Sal da vida", da Editora Valentina e fiquei encantada. Nunca li nada da Editora. Vim procurar outras resenhas da mesma Editora e fiquei simplesmente APAIXONADA por essa. Já vou correndo encomendar os dois! Parabéns!!! <3333

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©