sábado, 20 de fevereiro de 2016

Precisamos falar sobre novos escritores, revisão e conteúdo

Olá, tudo bem com vocês? Por aqui tudo tranquilo e favorável! (desculpe, não resisti =D )

O assunto de hoje é delicado e talvez até polêmico... Mas é algo que vem me pedindo pra ser escrito há muito tempo. Depois de algumas conversas com amigos sobre o tema, resolvi que era hora.

Então, bora lá!


Sou leitora desde os três anos de idade. E desde que aprendi juntar B com A, distribuo meus rabiscos por aí: Em cadernos, internet, algumas coletâneas já publicadas ou até mesmo em guardanapos.
Sou escritora? Não. Gostar de escrever e fazer isso com regularidade não quer dizer que sinto-me confortável para me considerar uma escritora.

Ah, Eliza. Mas escritora é aquele que escreve e ponto. Sim, gente, eu conheço o significado do dicionário. Vocês já vão entender minha resistência em considerar-me assim e, ainda, compreender o motivo de eu não mover uma palha pra ter um livro meu publicado (ainda) .

Eu cresci com a premissa interiorizada de que um livro serve para enriquecer o leitor. E, acreditando piamente nisso, penso que até a pior das histórias te acrescenta em algo.

Um livro serve pra nos levar para outro mundo ou para simplesmente nos esfregar na cara nossa realidade. Serve para divertir, emocionar ou simplesmente despertar raiva. Serve para ampliar nosso vocabulário, melhorar nossa escrita e praticar leitura. Um livro traz com ele um mundo de possibilidades.

E o que os “novos escritores” têm a ver com isso?

De uns anos pra cá, a internet deu um BOOM na área da literatura. São inúmeros blogs, vlogs, fanpages e instagrans sobre o assunto. E isso é ótimo, não é mesmo? É.

No entanto, com o aumento de leitores vorazes e as facilidades do mundo atual, ficou muito fácil publicar um livro. Tenho certeza que você que está lendo esse post conhece alguém próximo que já teve algo publicado em uma editora ou plataforma digital!
E o que acontece quando essa facilidade toma uma proporção imensa? A qualidade cai, claro.

Estamos lidando com editoras que publicam histórias sem passar por nenhuma aprovação. Por revisores cada vez mais relapsos e, o pior de tudo: divulgação positiva de trabalhos medianos e até mesmo medíocres.

E se você acha que eu estou exagerando, posso mostrar ao menos uma dezena de livros nesse estilo que estou falando!

Não me refiro a histórias ruins, fracas ou que não estejam adequadas ao meu gosto. Eu posso não me interessar pelo conteúdo de uma história, não ser meu gênero preferido, mas sei reconhecer uma boa escrita. E sei bem que outras pessoas poderiam gostar.

Eu me refiro à escrita errada, com erros gramaticais, erros de ortografia, de concordância, de pontuação...

Sejamos claros então: Pra que serve um livro?
Para que um autor possa ter sua vaidade saciada? Para que o autor tenha na estante das livrarias seu nome? Para que um autor conte sua história sem o menor compromisso com o conhecimento adquirido pelo leitor?

Temos tantos autores nacionais, tantas editoras nacionais... até quando teremos de recorrer aos clássicos e/ou traduções para considerarmos nossa leitura de qualidade?

O compromisso com o leitor vem sendo negligenciado cada vez mais. É assustador o número de autores que publicam seus livros sem a consciência de que poderá cair nas mãos de um leitor primário. 

E, mais assustador que tudo isso já citado, é o número de blogueiros que, para adquirirem um exemplar desse nível, sem precisar pagar por ele, submetem-se a resenhas mentirosas e inúmeras divulgações positivas. 
Eu não teria coragem de publicar uma história minha, visto que tenho MUITO que aprender sobre a Lingua Portuguesa. Há uma salto enorme entre saber escrever de forma compreensível, e SABER ESCREVER.

E que mundo é esse em que não podemos recorrer aos livros para termos nossa escrita e leitura aprimoradas?

É a era da formação do mau leitor. Era da propagação da má escrita.


E tudo isso nada mais é do que triste e preocupante.

"Não exitem livros morais ou imorais. Os livros são bem ou mal escritos!"





Sobre o Autor: 

Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!


Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Oi, Eliza!
    Achei muito pertinente essa discussão. De fato, já deixei de ler alguns livros por conta dos erros de revisão. Com esse BOOM de Wattpad então, nem se fala... o que tem de gente por aí divulgando seus livros e já na divulgação eu vejo erros GROTESCOS. Aí tem gente que diz: ah, mas a pessoa está aprendendo!
    Ok, a pessoa está aprendendo mas não custa nada jogar no Word que seja, né? Tá tudo ali mastigadinho, se estiver errado terá opções para corrigir... não custa!
    E não consigo falar bem se tem algo errado. É como você disse: a história pode ser boa, mas se for mal escrita... vish! Falo mesmo, tiro "pontos" de avaliação e o que for preciso.

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©