quinta-feira, 10 de março de 2016

Livros, Claudia Leitte e Polêmica!

Oi gente! Como estão?

Espero que bem, pois hoje vim falar de um assunto polêmico. Sei que muita gente não vai concordar com nada ou não com tudo, mas espero que muitos possam perceber a verdadeira crítica que quero fazer.

Sei que já passou um pouco o assunto sobre a polêmica biografia da cantora Cláudia Leitte. Pensei muito sobre o assunto e até quis escrever antes, mas acabei deixando de lado, mas quando esta semana vi que Valesca Popozuda terá sua biografia, resolvi falar.









A polêmica do livro sobre a vida da cantora de Axé (que nem canta mais só axé) foi porque o dinheiro viria do governo, através do Ministério da Cultura, e o valor seria R$355 mil reais. De fato, um absurdo. Não pelos argumentos que muitos usaram, mas, sim, porque realmente é muito dinheiro.

Antes de falar porque eu acho um absurdo o valor citado, gostaria de falar de algumas coisas que ouvi sobre o livro e achei também absurdas. A primeira é que muitos disseram coisas como "Ah! é um absurdo gastar R$355 mil reais no livro da Cláudia Leitte enquanto não se tem dinheiro para a saúde". É, é mesmo. Mas o que as pessoas precisam saber é que o dinheiro do Ministério da Cultura não pode ser usado na Saúde, na Educação, na 

Preservação Ambiental. Não adianta a gente querer ter país maravilhoso se nós, cidadãos, não sabemos como ele funciona. Então vamos procurar saber antes de falar. A verba da Cultura é para a Cultura. Não adianta querer usá-la para outros departamentos do país porque não pode. "Ah! Mas a Cultura tem muito dinheiro e a Saúde e Educação não tem". 

Então precisa rever essa distribuição, mas isso já é outra história. "Ah! Mas o livro dela não é cultura". Bom, livro para mim é cultura, independente do gênero, o que eu acho é que não precisava vir do governo o dinheiro, concordo com muitos que disseram que ela poderia e conseguiria um editora (e das grandes) para lançar o livro. O que me choca muito nesse último comentário são leitores assíduos colocar livro como não-cultura. Oi? 
Não é porque você não ouve axé que este livro especificamente deixou de ser cultura. 

Vamos por partes:

1) Tem pessoas que só leem ou preferem biografias. Você não lê ou não curte muito, ok. Mas tem quem goste;
2) Vai comprar o livro quem quiser, quem não quiser não compra. Ninguém é obrigado a ler livro sem gostar;
3) A gente não pode levar nossos gostos e preferências pessoais como verdades absolutas, isso não existe.

Ainda falando sobre a cantora conseguir uma grande editora... Volto a ressaltar que também acho que ela conseguiria e não precisava do dinheiro do governo. Mas vi também muita gente falar coisas como "Ah! É um absurdo também as editoras quererem livros de artistas e não valorizarem os verdadeiros escritores". Na boa, também acho. Mas se as pessoas não perceberam editoras também quererem lucro, status e grande comércio. E, infelizmente, artistas têm dado mais do que escritores por profissão. O jeito é conseguir conviver, mesmo que difícil, com isso da mesma maneira que estão convivendo com livros de blogueiros e livros interativos, por exemplo. Discriminar não vai fazer com que estes livros diminuam. As coisas não funcionam assim. Pelo  contrário, quanto mais discriminar, mais ibope será dado, porque polêmica é o sobrenome do Brasil.

Outro comentário: "Ah! Mas este valor tão alto poderia ser usado para incentivo de escritores nacionais". Concordo também. Poderia mesmo. Seria ótimo para os nossos escritores, para nossa literatura. Só tem uma coisa: "saber separar o joio do trigo". Vamos combinar que tem muita gente que se acha escritor e não é. Realmente temos escritores maravilhosos e que não são valorizados devidamente. Isso eu não tenho dúvida. Mas tem muita gente que lê muito e se acha gabaritado a ser escritor Best-Seller. Não, não é. 

Escrita é dom também. Você pode ser um leitor incrível, mas isso não significa que escreverá divinamente bem. Resumindo: deixaríamos de investir num livro de alguém que não é escritor, mas estaríamos gastando dinheiro com outro que não é famoso, mas também não é escritor. E não estou sendo preconceituosa não. Tudo bem as pessoas querem realizar seus sonhos, mesmo que lhes falte talento. Estou sendo realista e comparando duas situações. Por mim podem continuar escrevendo os autores que se acham autores. Eu não vou comprar, mas isso não significa que todos não comprarão. A ideia inicial do investimento é linda, apoio, contanto que seja feita de maneira séria e favoreça quem realmente é escritor, quem realmente merece. É a minha sincera opinião.




Por último, o comentário: "Ah! Mas ela não tem nada a dizer, para que tem que ter livro da vida dela?". Legal que todo mundo conhece a Cláudia Leitte bem à beça, a vida dela toda para saber que ela não tem nada a dizer. Nem gosta da cantora, mas sabe disso com toda certeza. Bom, eu realmente não compraria o livro dela. Primeiro porque a vida dela não me interessa, depois porque não sou fã de biografias. Mas jamais diria que ela não tem nada a dizer. Não nasci grudada nela, logo não sei sua história, logo não posso afirmar nada sobre sua vida. Aliás, foi este comentário que me fez escrever este texto. 

Mas foi por causa da Valesca Popozuda.




Li pessoas dizendo que ela é funkeira, logo não tem nada para contar (e ela vai lançar o livro por uma editora e não pelo governo). Oi? Bom, as pessoas estão mais informadas sobre a vida da Popozuda do que eu. Realmente não sei se ela tem uma história de vida bonita, não sei se ela teve superações ao longo da sua história, não sei o que ela passou para ser cantora. Logo, não posso afirmar que por ela ser funkeira não tenha nada para contar de valor. Engraçado que tem um bando de políticos que têm biografias, muitas mentirosas, que são um bando de cretinos e ninguém reclama. Ninguém fica incomodado deles falarem de suas vidas e "inverdades". E em grandes editoras também. Nem vou citar nomes para não causar mais polêmica, mas poderia citar no mínimo uns dez aqui. Sabe por que o político ninguém repara, mas critica a funkeira? Por puro preconceito. E vou voltar a ressaltar: ninguém é obrigado a comprar e ler. Faz isso quem quiser. Eu não quero, então não farei. Simples assim.

Enfim, me assusta e entristece tantos argumentos falhos e tanto preconceito de muitos (não foram só os que criticaram, claro) que deveriam ser mais instruídos por ler e acabam fazendo comentários assim. Acho que o governo deveria investir esse dinheiro todo num livro? Não. Acho que os escritores por profissão mereciam muito mais incentivo e valorização? Sim. Acho que a gente tem que saber identificar quem é realmente escritor e valorizá-lo? Sim. Acho que cada um tem direito a ter um gosto literário por mais que eu não goste? Sim. Estou deixando isso bem claro antes que digam que eu estou a favor do governo pagar pelo livro da Leitte e que acho melhor livro do mundo o da Popozuda. Não foi isso que eu disse.

E voltando ao início do texto e a maior crítica que quero fazer... Acho um absurdo gastar tanto dinheiro no livro da Leitte mais por ser um livro só do que por ser da Leitte. Se um livro para ser produzido, independente do autor, do gênero, precisa de tanto dinheiro, por quanto ele será vendido? Livro deveria ser de acesso a todos, TODOS mesmo. Ele não pode custar uma fortuna para ser feito, para não ser uma fortuna na hora de ser vendido. 

Ele precisa ter preços acessíveis para que mais pessoas leiam e aprendam com a literatura.

Você fez este textão para isso? Fiz. Porque queria mostrar todas as preocupações das pessoas – muitas válidas, outras não – mas mostrar que ninguém se preocupou com o principal: como livro ainda não é algo possível para todos. Essa deve ser a maior das lamentações. Esse deve ser o maior problema. Se a gente não tiver como incentivar os livros por causa do preço, mais escritores não serão valorizados, e mais a nossa Cultura e 
Educação estará perdendo.

Ninguém precisa concordar comigo. Não estou aqui para isso. Quero só que as pessoas realmente reflitam, se possível, pelo menos os dois últimos parágrafos do me texto.


Fui! Beijos!




Sobre o Autor:



Natalia MenezesNatalia Menezes |  Twitter  |  Todos os posts do autor
Amante de futebol, música, filmes e livros, sempre foi apaixonada por histórias, seja lá de qual maneira forem contadas. Ama tanto lidar com o abecedário em forma de frases e parágrafos, que acabou se formando em Letras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©