terça-feira, 7 de junho de 2016

Resenha | Clichê (Carol Dias)

Título: Clichê
Autor: Carol Dias
Editora: Ler Editorial
Número de páginas: 282



Sinopse: Marina Duarte está no vermelho. Dona de dupla graduação nas melhores faculdades públicas do Rio de Janeiro, seu sonho de construir a vida nos States não está funcionando.Decidiu se mudar para ficar perto da tia, sua única família, mas a crise não está ajudando em nada sua carreira.Sem saber como pagar as contas do próximo mês, Marina aceita uma vaga de babá na mansão da família Manning. Ela só não podia imaginar que sua vida mudaria completamente, apenas por conhecer duas crianças e um chefe viúvo e gato, maravilhoso, cheiroso e gostoso , que precisa urgentemente de sua ajuda.






Heeeey gente, tudo bem por aí?

Antes de falar do livro já anunciado acima, preciso contar como tudo aconteceu... Como "Clichê" chegou até a mim!

No dia 13/03, mandei uma mensagem para a autora Carol Dias, pois havia visto seu livro em algumas redes sociais e me chamou bastante atenção.
Quem me conhece deve estar estranhando eu me interessar por um romance super cara de romance, pois, já reclamei de alguns por aí... E geralmente faço outros tipos de escolha quando vou escolher minhas leituras, e acabo por conhecer "romances românticos" quando as Editoras me mandam, ou eu ganho, ou, como no caso de Como eu era antes de você que estava super aclamado, o filme pra sair, mil amigos indicando, etc...

Com "Clichê" foi super diferente, e eu já explico o porquê.

Ler Editorial, que não é minha parceira ( #chora ), não me mandou o exemplar, obviamente. Então foi euzinha mesma que fui atrás da autora, simplesmente porque achei de uma originalidade sem fim o título do livro. 

A Carol ( catem a intimidade ) estava no processo de publicação do livro físico, fazendo eventos, aquela loucura que todas as autoras sabem como é. E, mesmo assim, foi um AMOR comigo. Trocamos várias mensagens, expliquei como as parcerias funcionavam por aqui, ela explicou como estava fazendo naquele momento... Até que, no final, ela me enviou, não só o livro autografado, como uma cartinha à parte, marcadores lindos e uma bolsinha para carregar o livro por onde eu for... Olha, gente, coisa MAIS LINDA: 



MORRI! <3




E aí, eu que já estava apaixonada pela simpatia da Carol e curiosa com o livro, caí ainda mais de amores!!!

Mas, Eliza, o que te chamou tanto atenção neste livro?

Pra começar, essa capa espetacular que dá vontade de qualquer pessoa ir para os Estados Unidos só pra fazer uma foto igual, né?  Mas o principal mesmo, foi o título!

O que me cansa em muitos "Romances românticos" é o fato deles prometerem uma história sensacional e, no decorrer da leitura, percebemos que não passa de mais um clichê.

E aí vem Carol Dias, e já lança como título "CLICHÊ". Oi? Como assim? Ela está entregando que o livro dela não passa de um clichê?

Definitivamente, NÃO! Ela apenas está sendo sarcástica com essa louca mistura que alguns chamam de vida e que, ao pararmos para pensar, toda ela não passa de um grande e belo Clichê. 
Seja a situação que for, seja o pensamento que você tiver, o romance que viver, os desamores... Tudo, todas  essas coisas não passam de clichês. E, ao escrever um romance, perdemos tempo tentando fugir deles... E pra quê? Para simplesmente cairmos neles. Pois eles são inevitáveis!

Não adianta o quanto você está sendo cuidadosa, até o fato de não querer escrever um clichê, é um clichê!

E Carol Dias sabiamente usou dessa premissa para nos presentear com um romance delicioso... 

Marina Duarte, brasileira, formada em Música e Língua Portuguesa no Brasil, muda-se para os Estados Unidos para ficar mais próxima de sua Tia Norma: parente especial e única em sua vida, já que Nina - como gosta de ser chamada - já perdeu seus pais.

Lá, faz uma entrevista para trabalhar como babá na casa de um milionário, viúvo há poucos meses, e com dois filhos para educar sozinho desde então: Dorian e Allyson.

Nina é aceita na entrevista e passa a cuidar - e conquistar -  os pequeninos. 
E, claro, se apaixona pelo chefe. E é altamente correspondida! 

E aí que "mora" a curiosidade deste livro. Você já deve ter lidos vários livros de mocinhas pobres se apaixonando por milionários por aí... Mas muitas coisas me chamaram atenção na obra de Carol...

O romance entre Nina e o Sr. Manning é, sim a trama principal. Mas de uma forma doce e muito bem escrita, a autora conseguiu nos trazer temas deliciosos de acompanhar... A interação dela com as crianças, a maneira e os artifícios utilizados para se aproximar de cada um, de acordo com a carência e necessidades individuais que eles apresentavam. (E aqui eu peço licença à Eliza blogueira, e deixo a Eliza Pedagoga falar com mais propriedade).




Carol Dias tem "apenas" 20 anos, e conseguiu tratar de temas delicados com a experiência de uma autora madura e experiente. 

Poderia ser uma história clichê de uma babá pobre que é salva por um milionário que se apaixona por ela. Mas é Nina que muda a vida dessa família, e você precisa ler para entender sobre o que eu estou falando!

Outro ponto forte da leitura, é a narrativa alternada entre o presente, contado em 1ª pessoa por Nina,  e alguns momentos passados pelo Sr. Manning, ou simplesmente Killian, contado pelo próprio. 

E o melhor de tudo: nessa história toda de clichês, Carol fugiu de algo que já tornou-se clichê no meio literário e que eu, particularmente, não gosto: aquele do "mocinho" cafajeste, abusivo, que trata a protagonista da pior forma possível e, ainda assim, romantizam a história.


"Garotas fracas e sem personalidade se apaixonavam por caras ricos, mesmo que eles fossem tremendos idiotas. Esse clichê era quase um axioma." - pág. 12


"Clichê" passa longe disso. Conheçam Nina, encantem-se com Kill... Sem medo de ser feliz!



"Se ele fosse apenas meu amigo, ainda assim, ele seria o melhor homem que eu já conheci." - pág 228

Um livro delicioso, inteligente, cheio de reflexões à respeito do que fazemos com nossas vidas diante de grandes perdas... Uma diagramação suuuuper charmosa e os melhores clichês da vida: o amor em todas as suas formas!

Obrigada, Carol, por me proporcionar essa leitura. E parabéns pelo talento e delicadeza com cada detalhe desse lindo trabalho!







Desejo a você, o clichê de ser lida por todos os cantos do Brasil, e muitos, muitos frutos sejam colhidos por seu caminho!

E a vocês leitores: Leiam Clichê! Apenas isso. E depois me contem o bem que essa leitura fez ao coração de vocês... Porque o meu... Tá numa leveza só! <3





E aí, já conhecem Clichê?
Contem pra gente nos comentários!!!

Beijinhos, e até o próximo post!



Sobre o Autor: 


Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!



Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. O único problema que vejo nos romances românticos é o fato de terem personagens perfeitos, nesse caso, prefiro os do realismo que mostram os defeitos. Mas confesso que adoro livros clichês, esse parece muito bom, amei o capricho que a autora teve contigo.

    www.eucurtoliteratura.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Carol foi uma graça e super profissional mesmo, Tainan! O meu problema com romances românticos, como disse acima, é quando romantizam caras escrotos. Esse livro é Clichê, e assim a autora se propôs a fazer! Super indico! <3

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©