terça-feira, 26 de julho de 2016

Resenha | SEM DESTINO depois que ela partiu... (Karina Dias)

Título: SEM DESTINO depois que ela partiu...
Autor: Karina Dias
Editora: Metanoia 
Número de páginas: 112







Sinopse: Um casal apaixonado, como tantos, tinha sonhos, planos, metas. Mas, infelizmente, o destino não permitiu que todos se realizassem. Karina Dias compartilha com seus leitores um pouco da história de amor que viveu com Paula, sua esposa que faleceu em agosto de 2014.







Oi gente, tudo bem com vocês? 

O livro que trago hoje não me deixou só com uma lágrima na garganta... Ele fez com que eu me embriagasse com cada palavra e o terminasse com uma emoção que transbordou em lágrimas.

"À Paula, a melhor lembrança, a maior de todas as minhas histórias... A responsável pelos dias mais felizes da minha vida..."

Depois de um prefácio escrito pelo jornalista e repórter da rádio CBN, Leopoldo Rosa, e uma página inteira de agradecimentos à diversas pessoas, foi na página seguinte, com o oferecimento simples e, ao mesmo tempo profundo, que começou o meu mergulho em "SEM DESTINO depois que ela partiu..."

Karina Dias, a autora, é também jornalista e pesquisadora. Mestre em Jornalismo Contemporâneo pela Faculdade Cásper Líbero. Entre outras - muitas - coisas que você pode conhecer visitando seu site, clicando aqui!

É também autora dos seguintes livros: 




Os dois primeiros também serão resenhados aqui em breve. 

O livro que venho aqui hoje para conversarmos sobre, é extremamente autobiográfico. Karina foi casada por seis anos com Paula e, infelizmente, Paula partiu da pior forma... Como a autora mesmo diz em determinado trecho: de forma não consensual. Não houve um término, não acabou o amor... Paula faleceu e deixou Karina sem chão, com uma das maiores dores que o ser humano pode sentir... 

"Sua ausência me parte a alma. Metade de mim foi embora com você, a outra metade, o meu corpo físico agoniza pelo descanso." - pág.88

Como a autora mesmo conta, no vídeo que vocês poderão ver a seguir, ela viveu momentos muito especiais com sua parceira... Momentos que ela diz "que se foram e nunca mais vão voltar", mas que eu acredito que estarão para sempre guardados em um lugar muito especial dentro dela.



"SEM DESTINO..." começa nos mostrando como as duas começaram a ter contato, por e-mail... Um casual que desde o início mostrou à Karina um algo a mais. De trocas de e-mails, veio a convivência e nascia, crescia e consolidava, o sentimento mais puro que podemos ter: o amor!

A partir do momento em que nos envolvemos completamente pelo "encontro de almas" que essa relação reflete, vem o impacto da perda. Jamais sentiremos o que Karina sentiu e passou, obviamente, mas através de suas palavras tão claras e recheadas de dor, através da forma como ela foi encontrando de aprender a lidar com a falta que sua amada deixou - deixando claro que não há superação e, sim, aprendizado - vamos sentindo de uma forma muito profunda tudo aquilo relatado em cada página. 

As partes mais doídas vêm em forma de poesias que Karina passou tempos escrevendo em um caderno. Deixo aqui, a minha preferida. E também a que mais me fez chorar.

25 de setembro de 2014...23:12h

Lá fora o barulho da noite.
Aqui dentro o som oco e redundante da solidão.
Sou minuto de inquietude;
Sou tempo de tormenta;
Sou terra sem plantio;
Sou folha seca que o vento derruba com o sopro;
Sou forte e fraca e indecisa e, sobretudo, insana.
Lá fora a vida em movimento, os carros, a buzina, as vozes longínquas;
O ronco do motor das motos, são muitas, 
mesmo de madrugada.
Aqui dentro a falta de cor, o apagar das luzes, 
o silêncio da saudade,
as vozes da incerteza...
Dias curtos, noites longas.
Dias longos, noites curtas quando sonho com você...
Seu travesseiro continua em meus braços.

Chorei de emoção, por saber que ainda existe amor de verdade. Chorei de tristeza, por sentir, de alguma forma, a dor de Karina. E, novamente, de emoção, por saber que ela encontrou forças para continuar vivendo - de verdade!

Karina Dias eternizou Paula através deste livro e, claro, de suas memórias. E permitiu que nós, leitores, conhecêssemos um pouquinho dessa relação, nos passando a certeza do quão linda ela foi. ( E é, por que não?)

Foi através deste livro, também, que eu conheci a autora, já que foi o primeiro que li. E agora já anseio por começar as outras leituras. 

Fico extremamente feliz em conhecer autorxs preocupadxs com representatividade, com diversidade. Dispostxs a mostrar ao mundo que o amor está em todos lugares, gêneros e orientações sexuais. E que este amor, não é diferente do de ninguém. Amor é amor! E, como eu sempre digo: SEJA AMOR! ESPALHE AMOR!
É disso que o mundo precisa. 

Nas páginas finais do livro, encontramos espaço interativo, o que foi uma grande surpresa e achei uma ótima "cereja do bolo". Karina nos estimula a deixar uma mensagem para nosso grande amor, para o amor que ainda não chegou ou para o amor platônico. E, claro, eu fiz isso! 

Como já encontrei meu amor, usei os primeiros espaços... Vejam:




O texto: 


Tenho meias pelo chão: as minhas, e a dele. O guarda-roupa tem uma "porta da bagunça". As roupas experimentadas antes de sair, ficam pela cama e a louça suplica pra que alguém as lave. 

Nunca sei onde guardei dinheiro, onde larguei os brincos e não acho nada nem que esteja debaixo do meu nariz. 

Um dia li que tudo isso é pra combinar com a bagunça da minha mente. Gostei e levei pra vida essa desculpa.

Por outro lado, perco o sono com a estante bagunçada. Balzac longe de Allan Poe me levam a três noites em claro. Pra alguns ainda é bagunça, mas nunca achei justa a ordem alfabética... 

Se em casa, só bagunça, a vida é exceção. A necessidade de controle é imensa. E com isso, só desgaste. Preciso ter controle sobre todas as coisas e, quando - inevitavelmente - as perco, resta-me morder o canto da boca, desviar o olhar e esperar. 

Sou segura de mim, confiante quase sempre, mas quando tudo se perde, não é tarefa fácil reestruturar. 
E aí você vem... Numa novidade que, mesmo após um ano, ainda preciso me acostumar... Mostra-me que me conhece até mais que eu mesma. 
Conhece minhas neuras e paronoias. As manias e os medos. Sabe exatamente a hora que vou querer pular do barco. E me segura. 
E me abraça, acalenta, espera o turbilhão passar. Me devolve o ar. 
É você quem tem me salvado de mim mesma! 
E mesmo que eu tenha dias amargos e você, ranzinzas, eu sei que posso esperar um "Bom dia" enquanto ainda durmo... E, mesmo odiando ser acordada, você sabe que eu vou sorrir... 
Em cada abraço, eu vou me sentir segura e entender que você está aqui pra devolver meu equilíbrio, segurar minhas mãos e, se necessário, minhas lágrimas! 
E sendo assim, apenas espero que seja recíproco enquanto dure... E eterno, por que não?

Eliza Alvernaz (Ou, pra você, simplesmente Liz) 

Obrigada, Karina Dias, por me proporcionar uma leitura de tamanha qualidade, sinceridade e entrega! Obrigada por se desnudar um tanto e permitir que seus leitores conheçam um pouquinho além da ficção! 

E, força! É o que eu desejo hoje e sempre! 


E vocês que nos acompanham, não deixem de conhecer a obra desta autora! Vale muito a pena, super recomendo! 
Beijos, e até o próximo post!



Sobre o Autor: 


Liza Alvernaz
Eliza Alvernaz |  Twitter - Skoob
 |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!


Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Que resenha linda. esse livro deve ser sensacional. já coloquei na minha lista. já chorei com a resenha, imagina o livro hauhauhauha e texto lindo o seu tbm. parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Miriam! O livro é mesmo muito emocionante! Muito mais que minha resenha, garanto. Leia e depois nos conte o que achou, ok?

      Excluir
  2. Arrasou!!! Linda resenha. Quero mto!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©