segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Resenha | A garota no trem ( Paula Hawkins)


Título: A garota no trem
Autor: Paula Hawkins

Editora: Record
Número de páginas: 378



Sinopse: Um thriller psicológico que vai mudar para sempre a maneira como você observa a vida das pessoas ao seu redor.Todas as manhãs, Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas dágua, pontes e aconchegantes casas.Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes a quem chama de Jess e Jason , Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess na verdade Megan está desaparecida.Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. Uma narrativa extremamente inteligente e repleta de reviravoltas, A garota No Trem é um thriller digno de Hitchcock a ser compulsivamente devorado.




Olá, tudo bem com vocês?

Hoje falaremos de uma Literatura Estrangeira. No dia 27 do próximo mês está prevista a estreia do filme baseada neste romance policial recheado de mistério. O filme assume o gênero suspense que o livro traz e cabe a nós esperarmos para saber se a adaptação seguirá à risca a narrativa da autora Paula Hawkins, ou se virá surpresa por aí!

Preciso começar dizendo que, de cara, discordo com a frase inicial da sinopse. Não, o livro não mudou "para sempre a maneira como observo a vida das pessoas ao meu redor". Não cheguei a esse ponto. 

É um livro bom, uma trama bem construída e conectada. Mas não chega a ser algo tão relevante ao ponto de mudar a minha vida, me tocar para sempre, ou algo assim. Trata-se apenas de um thriller psicológico interessante, que prende atenção do leitor e pode vir a ser um grande filme dependendo de como forem abordá-lo. 

Agora "pera" lá: "digno de Hitchcock" ??? Quem escreve essas sinopses, gente? Não. Apenas não. Exagero master.

Vamos à história antes que vocês desistam da leitura, que também não é para tanto! =D

Nesta trama conhecemos Rachel - nossa protagonista -  que, após ser deixada pelo marido, passa a dividir uma casa com uma amiga (quase uma santa). Rachel trabalhava em Londres, porém perdeu o emprego por conta de ter se tornado alcoolatra e deixado que isso atrapalhasse seu trabalho. 

Envergonhada, não conta para a amiga e usa suas economias o quanto pode, protelando a ideia de ter de contar a perda do emprego. Com isso, mantém a rotina de, diariamente, ir de Ashburry até Londres, de Trem. Para que a amiga não perceba nenhuma mudança de rotina.

Já começamos o livro com este cenário. 

Nessas idas e vindas, uma das paradas do Trem é bem próxima à casa em que ela morou com seu marido, que agora mora com a atual esposa e a filhinha. Mas é exatamente em frente à outra casa, de um casal que ela não conhece e, por isso, criou nomes fictícios e também histórias para eles.

(Pausa aqui: rolou uma identificação MEGA neste momento porque euzinha também super sou dessas. No restaurante, no supermercado, fila de banco... Se não estou lendo, estou observando pessoas e criando histórias para suas vidas. Sim, sou louca!)

Rachel chamou o casal de Jess e Jason, fantasiou uma vida amorosa feliz e perfeita para eles e criou uma fixação nisso. 

Desiludida amorosamente, alcoolatra, desempregada, com uma única amiga que aguentava todos os seus porres, deprimida e com pena de si própria, não foi difícil que, cada vez mais, ela fosse se envolvendo em situações desastrosas e humilhantes como: ligar para o ex-marido toda hora, passar mensagem... Vivendo uma vida medíocre, sem expectativas e apenas muito sofrimento. 

Certo dia, em mais uma parada em frente a casa 15: casa do casal "Jess e Jason", Rach vê algo diferente do costumeiro. E já no dia seguinte, a notícia nos jornais: "Megan estaria desaparecida". 

É ali que ela descobre que Jess trata-se na verdade de Megan. E, não só se envolve profundamente com o marido de Megan, como acredita ter visto algo que poderia mudar todos os rumos das investigações.

Mas estaria Rachel certa? Seria tudo consequência dos efeitos causados pelo seu vício? Teria mais coisas por traz desse desaparecimento? Quem é Megan, afinal? Quem é esse casal? 

O livro divide-se entre três narrativas: Rachel, Megan e Anna (a atual esposa do ex de Rachel). 
De início, imaginamos que as histórias serão independentes, mas logo essa ideia se desfaz e tudo se conecta de maneira bem construída.

Um bom livro, um suspense razoável, um thriller psicológico bacana! Recomendo a leitura e irei assistir ao filme para conferir como os diretores o exploraram! 

Recomendo. Mas não criem a expectativa que a sinopse promete!


Gostaram? Já conheciam este livro?
Se já, contem pra gente!!! 

Beijos, e até o próximo post!



Sobre o Autor: 


Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©