segunda-feira, 10 de outubro de 2016

10/10 - Bday da Lica - Por Natalia Menezes

A gente entrou na vida uma da outra de uma maneira bem comum: a escola. Várias pessoas entram nas vidas umas das outras assim. Várias pessoas entraram nas nossas vidas desta maneira. A nossa diferença é que ficamos, permanecemos e continuamos uma na vida da outra. Passamos por afastamentos, é claro, a vida não é fácil depois que viramos adultos. Ainda mais quando se tem cidades diferentes no caminho, mas a vida acaba juntando quem nasceu para ficar juntos, até mesmo os amigos.




A amizade começou conturbada: um soco no coração, no caso, o meu. E uma sequência de bullying, que ela, hoje, mostra ter sofrido, mas que eu nunca tinha percebido. Pelo ao contrário. Ela parecia a popular da turma. Tão popular que causava inveja em “geral”. No fundo, as pessoas queriam ser como ela, acredito eu, porque ela já era muito dona de si – mesmo que não percebesse isso ainda – e isto causava admiração das pessoas, mesmo que esta admiração não tenha sido sempre positiva.

Passado estes momentos iniciais nós grudamos, quase que literalmente, e onde estava a Eliza, estava também a Natalia. Era tanto tempo juntas, que até na casa dela eu morava nos fins de semana. Fizemos muitos trabalhos em grupo/ dupla, estudamos para muitas provas, grudamos muito macarrão na parede para saber se estava bom, comemos muita pipoca e muita batata frita com sorvete. Dançamos banda “Cheiro de Amor”, “Skank”, “Spice Girls”, “Chiquititas”, “Paquitas” e “É o Tchan”. Ahhhhh! Éramos perfeitas para os cargos de “Chiquititas”, “Paquitas” e Morenas do Tchan. Pena que não descobriram o nosso talento.



Fomos a muita matinê nessa vida. Na fase adulta a gente não curtiu muita “night” junta não, mas na chamada pré-adolescência e adolescência, temos história. Meu primeiro Baile à Fantasia ela estava comigo e no dia do primeiro beijo também. Aliás, tenho que dizer que ela “lutou” para que este primeiro beijo acontecesse. Se dependesse de mim, morreria BV (risos), mas ela incentivou durante anos para que eu parasse de timidez (ou frescura como ela dizia na época) e beijasse. Valeu, amiga!

Foi ombro amigo também. Em muitos momentos. Ainda mais para uma chorona e mega sincera como eu. Só alguém com um ombro muito amigo para me aturar mais de 20 anos. Acho que é por isso que temos até nosso próprio dia, nosso aniversário, 11 de novembro (ou 11/11 como gostamos de dizer), a data que simboliza a vitória da amizade. A vitória porque já tentaram nos afastar, vitória porque ultrapassamos o tempo, vitória porque superamos distância, vitória porque  ainda temos hoje uma pela outra um sentimento tão banalizado: a amizade.

E quando a gente achava que nada mais iria nos unir ainda mais, os livros e a nossa profissão mostraram que é possível sim e vem contribuindo para que nossa amizade seja sólida e continue duradoura. Fora as ideologias de vida que só mostram que semelhante realmente atrai semelhante.

Poderia ficar aqui contando muitas histórias: o trabalho de sintaxe da 6ª Série que você tirou 8, das apresentações mirabolantes na escola, da vez que vocês me fizeram vestir de gaúcho, mas falei como baiano, dos rituais para os jogos do Flamengo e das partidas de “Cara a cara”. Mas quero mesmo dizer que fico feliz por você estar completando mais um ano de vida e orgulhosa por você estar vencendo suas batalhas diárias.



Quero que saiba que é bom ter você como minha flor, minha raposa, meu aviador, meu Chapeleiro, minha irmã. O que desejo é que você continue essa pessoa honesta como você é com o mundo, pode acreditar, honestidade é algo raro hoje em dia. Que Deus possa te iluminar sempre por este caminho de amor, ajudando a realizar os seus sonhos. Que a sua fé – mesmo que não seja uma fé divina- a sua fé no mundo melhor, na igualdade, no amor de todas as formas e da certeza de fazer o bem para o outro nunca desapareça de você. Que você continue uma “Alice”, que não quer viver na mesmice, mas que não se contenta em viver sem justiça.


Feliz aniversário, minha amiga-irmã!!! 



Sobre o Autor:
Natalia MenezesNatalia Menezes |  Twitter  |  Todos os posts do autor
Amante de futebol, música, filmes e livros, sempre foi apaixonada por histórias, seja lá de qual maneira forem contadas. Ama tanto lidar com o abecedário em forma de frases e parágrafos, que acabou se formando em Letras.


Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Obrigada por cada palavra, cada lembrança, cada momento e por toda essa amizade que só cresce (às vezes nem sei como é possível). Obrigada por ser quem é, por tudo que representa em minha vida. Amo você MUITO!!! CHOREI LITROS. Você sabe.
    Amiga-irmã, colaboradora de blog, parceira de todos os momentos. Obrigada por não me abandonar na pior fase da minha vida e por sempre dividir comigo minhas vitórias! <3

    ResponderExcluir
  2. Fiquei emocionada , tanta amizade e verdadeira ,que ultrapassou todas as barreiras .Não é só amizade ,é respeito ,confiança , abrir-se sem medo de ser traída ,porque essa palavra não existe no dicionário de vocês .Que seja eterna ,que haja cada vez mais cumplicidade .Já tive amigas assim ,a vida mandou uma para cada canto diferente , mas o prazer ,a alegria ,quando nos vemos , ou nos falamos ,vale a VIDA!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©