sábado, 12 de novembro de 2016

O que aprendi com os 30? - Por Natalia Menezes

Daqui um mês faço 31 anos. Não posso dizer que saio dos 30. Ficarei nele alguns bons anos, mas o ano simbólico 30 anos está acabando. E o que eu aprendi ao virar uma balzaquiana? Aprendi muita coisa. Muita mesmo. Aprendi que sou melhor do que achava que era e do que muita gente diz que sou. Aprendi que tenho que melhorar muito como pessoa, como cidadã, como filha, como amiga, como professora, como cristã, como Ser Humano, mas entendi também que tenho já um caminho a seguir para isso e não posso abandoná-lo. 

Aprendi que a vida realmente é feita de coisas simples: sorrisos, abraços, beijos, carinho e brilho no olhar. Aprendi que sempre terão pessoas que vão se achar ou fazer de tudo para serem melhores que você, mas se forem mesmo, tudo bem. E se não forem, tudo bem também, o importante mesmo é você nunca esquecer quem você é e quer ser. Aprendi que há muitas pessoas interesseiras no mundo, algumas vão te usar, outras querer te prejudicar para alcançar seus objetivos, mas eu sou maior do que isso, porque meu compromisso com o mundo é ser e não ter. Aprendi que o que é meu está mesmo guardado, aliás, guardado e abençoado por Deus. Em falar Nele, aprendi que tenho que saber esperar e entender a hora Dele na minha vida. 

Aprendi que a gente gasta tanto tempo pelo que não vale a pena, que perdemos vida com isso. Aprendi que sou muitas em uma só e uma só em muitas. Aprendi que a minha opinião é minha, a dos outros é dos outros e sempre será assim. Aprendi que intolerância, preconceito e burrices são mesmo coisas que me irritam profundamente. Aprendi que eu que me conhecer mais e sempre. Aprendi que de todos os compromissos que tenho com o mundo, ser feliz e amar são os mais importantes de todos. 

Aprendi que vou chorar, vou ficar triste, vou ficar eufórica, vou ficar com raiva, vou gargalhar, vou fazer cara de saco cheio, vou ficar mal-humorada ou não parar de fazer brincadeiras porque sou humana e como isso tudo é bonito. Aprendi que o mundo está mesmo no modo "ladeira abaixo", mas que eu tenho que continuar tentar empurrá-lo ladeira acima, por mais difícil ou doloroso que seja. 

Aprendi que tenho qualidades que nem mesmo eu exaltava e que elas me fazem ter muito o que doar para o mundo. Aprendi que por mais dura que seja a caminhada, a vida segue para frente e a gente deve acompanhar este passo. Aprendi que o nosso passado é importante na nossa história, mas o presente é sempre um novo presente de Deus. 

Aprendi que sou capaz de tanta coisa que eu me achava incapaz. Aprendi que amadureci muito e ainda falta muito mais para amadurecer. Aprendi que tenho que continuar aprendendo o tempo todo. Entendi que tudo isso só foi possível porque a Natalia tem bom caráter, tem valores, tem defeitos, tem qualidades, tem fé, tem revolta, tem gênio difícil, tem coração mole, tem muitas lágrimas derramadas e muitas para derramar, tem coração nos dois sentidos da palavra e tem humanidade, seja ela perfeita ou imperfeita, boa ou má, bonita ou feia, mas que continua sendo, acima de tudo, a Natalia que ama viver e tem gratidão por esta vida.



Créditos na própria imagem


Sobre o Autor:
Natalia MenezesNatalia Menezes |  Twitter  |  Todos os posts do autor
Amante de futebol, música, filmes e livros, sempre foi apaixonada por histórias, seja lá de qual maneira forem contadas. Ama tanto lidar com o abecedário em forma de frases e parágrafos, que acabou se formando em Letras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©