segunda-feira, 6 de março de 2017

O feminismo de Emma Watson!

Emma Watson é uma atriz que dispensa apresentações. No entanto, nos últimos dias, a intérprete de Bela, na releitura do clássico "A Bela e a Fera", foi alvo de ataques por conta de uma foto que fez para a capa da revista Vanity Fair

Vamos falar sobre isso!


Emma é ativista do Movimento Feminista e porta-voz de campanhas pró-mulheres na Organização das Nações Unidas. Só este fato já é algo que divide a opinião das próprias feministas. Explico: A atriz é branca, rica, hétero (até onde se sabe)... Ela representa, absolutamente, aquelas que sempre foram representadas. Aquelas que sempre chegaram às Universidades, que sempre tiveram melhores oportunidades de equiparação salarial, que não sofrem com racismo, com preconceito por classe social e tudo mais. É completamente compreensível a frustração de quem aponta e critica esses pontos, mas, eu ainda defendo - e acredito - que alguém com a visibilidade que ela tem, falando criticamente, engajadamente, com consciência, pode, sim, ser muito positivo para muitas. 

Querendo ou não, a maioria das pessoas que chegam ao feminismo não chegam através de estudo, de fundamentação. Chegam por necessidade, ou por ouvirem alguém falar, ou por alguém apresentar, e por aí vai... Muitas meninas, novas ainda, são fãs do trabalho de Emma e, quando ela for falar sobre o Movimento, vão parar para ouvir e esta pode ser a porta de entrada da maioria. Mas será que Emma 'fala' conscientemente? O que vocês acham?



O "Feminismo de Emma Watson", como eu disse no título, é o feminismo liberal
O Feminismo é um Movimento Político e Social, embora a maioria das pessoas pensem que é um clube da Luluzinha que basta você levantar uma bandeira e pronto. Não é. Várias mulheres no passado fizeram muito por nós. Mas ainda há muito a ser feito por nós mesmas e por quem está por vir. Tentar, ao menos, deixar este mundo um pouquinho melhor é o mínimo que podemos fazer. 

Geralmente, quando nos interessamos ou conhecemos o feminismo, independente da forma de entrada, é comum chegarmos ao feminismo liberal primeiro. Muitas "mudam" de vertente conforme vão aprofundando-se no assunto, outras estacionam ali mesmo. 

O feminismo liberal é o que costumo chamar de "feminismo divertido". Ou, sem querer parecer ofensiva, mas acho que serei, "feminismo egoísta". Vou explicar o meu ponto de vista e de toda vertente radical. 


"Feminismo liberal também conhecido como Feminismo Igualitário ou Feminismo Universalista é uma forma individualista da teoria feminista, que incide sobre a capacidade das mulheres em manter a sua igualdade através de suas próprias ações e escolhas, e propõem mudanças no sistemas jurídicos mas não mudanças nas estruturas sociais."


Fonte: Wikipedia

Eu considero que este parágrafo já explica-se por mim. Mas, na dúvida, irei detalhar. Esta vertente do Movimento é individualista. Este "detalhe" faz com que, cada vez mais, as mulheres adeptas a ele, vivam em suas bolhas, levantando uma bandeira com o slogan "meu corpo, minhas regras", buscando apenas seu próprio bem-estar, sem preocupar-se política e significativamente com as especificidades das outras. Banalizam o empoderamento feminino, ignorando toda luta e resistência do feminismo negro,por exemplo, como se empoderar tratasse de usar salto, batom vermelho, decote e minissaia. Baseiam-se no "eu". 

Para completar meu raciocínio, a Clarissa Wolff tem um texto completo e que resume tudo o que precisa ser dito. De resto, só estudando, lendo, conhecendo. 

O que eu quero mesmo dizer com isso tudo é:

Eu não compartilho das mesmas ideias que a "Emma Watson" ou quem quer que seja adepta ao feminismo liberal. Esta é a única vertente - dentre as de mais destaque - que aponto, sem culpa, como sendo inconsequente. Mas, é impossível compactuar com pessoas, sejam feministas ou não, que vão em qualquer ambiente ou rede social, atacar a atriz (ou quem quer que seja) das diversas formas que temos visto. 

Eu não acho que tirar foto na capa da revista, sem sutiã, seja empoderamento. Também não acho que "feminismo trata de se fazer o que quiser", como as pessoas têm justificado. Longe disso. Mas nada justifica o ataque vindo de outras mulheres. 

Eu também não sou a favor do "feminismo mãe de todas". Aquele que, não importa o que a mulher fez, tem que passar a mão na cabeça e concordar. De forma alguma. Mas, nesse caso específico, o que a Emma fez, foi apenas uma atitude que muitas pessoas que ficam "presas" ao liberal, que não permitem-se conhecer outras ideias, têm. Como dito no texto da Clarissa que citei acima:


"A ideia de liberação sexual é um dos cernes da ilusão de poder, não passa de uma estratégia para criar novas formas de dominação. A noção de empoderamento se intersecciona com a ilusão da existência de algum controle sobre a própria objetificação."

Eu não posso, e não vou, concordar com uma vertente que vê a Prostituição como libertação das mulheres, como empoderamento. Como eu já disse aqui, prostituição é exploração e a maioria das mulheres que entram para esta vida não é por escolha. 

Dizem, por ignorância, que o feminismo radical é o feminismo extremista. Confundem o "radical" de "pertencente à raiz", com, "extremo". (A gente ri.) Mas, na verdade, o único feminismo que as pessoas (não envolvidas) geralmente conhecem é o liberal. É o mais popular, o que ganha manchete, o que agora está até aparecendo em programa de Tv, vejam só vocês. E pensar que eu já pensei que fosse o contrário... 

Reflitam: é bem conveniente dar ênfase em um feminismo que aplaude a prostituição, que quer mais e mais mulheres peladas nas redes sociais e revistas, que acha que protesto é ir pra rua sem sutiã com "puta" escrito na testa, não é? Afinal, quem vai querer ouvir as chatas mimizentas da problematização?

E eu poderia ficar aqui listando mais uma centena de motivos para não concordar com a Emma Watson. Mas nenhum deles me dá o direito de atacá-la "pessoalmente". Critiquem as ideias, a vertente, a política, a visão, os objetivos... A pessoa Emma Watson, não! 



Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©