quarta-feira, 15 de março de 2017

Resenha | Amor Amargo (Jennifer Brown)

Amor Amargo
Título: Amor Amargo
Autor: Jennifer Brown
Editora: Gutenberg
Número de páginas: 256



Sinopse: Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado.
Até Cole aparecer.
Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade…
Em um retrato realista de um relacionamento conturbado, a autora Jennifer Brown – do sucesso A Lista Negra – nos leva até o limite de nossos sentimentos..
Oi gente, tudo bem com vocês?

Há um certo tempo, vários colegas me indicam este livro, sempre dizendo que eu iria gostar. Protelei bastante em ler por puro preconceito literário, confesso. Já cansei de dizer que 'a vida é muito curta pra gente perder tempo lendo livro ruim', né? Pois é. "Romance Jovem Adulto" não está entre meu tipo de leitura preferido, portanto, quando me indicara, dei uma leve torcida de nariz e fui deixando pra depois... Mas cada hora uma pessoa diferente me indicava. Chegou o momento, então, que decidi ver o que de tão especial tinha este livro pra fazer com que as pessoas achassem que me agradaria!

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que, com esta leitura, descobri mais uma ramificação dos romances que desconhecia (a tia tá véia pra tanta categoria da Literatura Estrangeira, gente): o Romance Jovem Adulto Maduro. E preciso dizer, também, que isso me agradou!

Não é surpresa pra quem me acompanha que, desde sempre, eu gosto de ler livros que possam interessar meus alunos mais velhos. Eu dou aula pra crianças, geralmente na faixa dos 11 anos mas, por conta de inúmeros problemas que vou e abster de adentrar aqui, acabo tendo sempre vários alunos na faixa dos 15, 16 anos. (Algumas vezes até mais velhos). Isso tudo junto e misturado! 

Diferente de muitos professores, esta faixa é a que eu mais gosto. Este é um dos fatores de eu sempre pegar turmas com os temidos "alunos repetentes". No entanto, além de todo preparo pedagógico necessário para se trabalhar com qualquer aluno, em qualquer idade e série, eu gosto e faço questão de manter o máximo possível de conexão com o mundo deles também!

Então, não se assuste se me flagrar assistindo um vídeo do Felipe Neto, lendo um livro da Kéfera, ouvindo "Deu Onda"... Eu acredito que quanto mais conectada com o mundinho deles, mais fácil fica para apresentar novos mundos. Se eu entendo o que eles "viram" no "Jogos Vorazes", eu posso apresentar "1984". E não, livro não tem idade. 

Porééém, mesmo com tudo isso que expliquei, os romances YA entalam um tanto na minha garganta. Primeiro que "romance romântico" já me entala mesmo,rs, e aí junta a narrativa, a linguagem e todo o conjunto e não dá.

Ah, Eliza, mas você acabou de dizer que lê até o livro da Kéfera!

Sim! Mas é outra narrativa... O meu problema é todo o conjunto. Dá pra entender? Tenta aí, gente, porque melhor que isso não vou saber explicar. 

Pois bem... Rompi isso e fui ler "Amor Amargo" de uma autora que não conhecia. Quanto à narrativa, posso dizer que não me surpreendeu. É exatamente o que eu esperava: não te desafia, não exige muito de você, chega a ser arrastadinha em muitos trechos (principalmente nas primeiras 70 páginas mais ou menos). 

A princípio temos uma protagonista, Alex, sem grande destaque, que está planejando uma viagem com seus dois melhores amigos para quando terminarem ao que corresponde ao nosso Ensino Médio. 
Esta viagem é bastante importante para Alex, principalmente, pois a menina cresceu com as irmãs e o pai, sem a presença da mãe, que morreu em um acidente de carro quando estava indo para o Colorado. Esta viagem que sua mãe ia fazer sempre foi um mistério para Alex que nunca teve abertura para conversar com seu pai sobre qualquer assunto. Apesar de nunca ter deixado que nada faltasse às filhas, após a morte da esposa, ele teve de assumir todas as responsabilidades com elas e a casa mas não conseguiu superar a perda e manter uma relação com base na comunicação. 

Alex sempre mostrou-se mais sentida e afetada com toda essa história do que suas irmãs. E decidiu fazer essa viagem ao terminar o colégio para tentar entender o que a mãe estava indo buscar no Colorado. 

Para conseguir realizar a viagem, após o colégio ela trabalha em um café/lanchonete e possui uma relação de muito afeto com a gerente do estabelecimento. Em alguns momentos chega a considerá-la o mais próximo do que ela já teve de uma mãe. Este carinho é recíproco e Alex pode contar com bastante apoio, proteção e, diferente da relação com seu pai, diálogo.

Mas todos esses pontos são apenas pano de fundo do tema principal. Amor Amargo trata, na verdade, de um relacionamento abusivo e violento

Ainda no colégio, Alex conhece Cole em uma aula de reforço que ela mesmo ministra. Bonito, galanteador, vindo de outra região, até então nada fora do clichê. Mas insistindo na leitura chegamos no ponto em que acontece a primeira ação de violência de Cole. 

Desse ponto em diante entramos em uma nova trama e passamos a acompanhar o sofrimento, as dúvidas, a culpa, o ressentimento... o amor de Alex. Ela realmente acredita amar Cole, acredita ser amada, acredita que ele vai mudar após cada atitude dele, a cada pedido de desculpas. A autora não poupou os "jovens leitores" de adentrarem na personalidade de um agressor e também não romantizou a violência. Cada vez que Alex perdoou Cole foi completamente dentro do contexto. 

Acho muito importante que jovens tenham acesso a esse tipo de leitura. Aliás, muitos adultos também deveriam ter. Independente da narrativa ou qualquer coisa, vale bastante a pena tomar conhecimento de um tema como esse, principalmente em nosso país, onde 405 mulheres são agredidas por dia e, destas, 68% por seus companheiros!

Por fim, valeu bastante a leitura! 

Beijos e até o próximo post!


Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!





Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Boa tarde !Gostaria de ler cada livro que vc resenha e posta .Esse só de ler a resenha mexeu bastante comigo (será que isso pode acontecer?),as vezes nos encontramos nas páginas de algum escritor e mesmo sem saber como mudar muita coisa , é bom saber que alguns são relatos fiéis ,e não apenas histórias . Relacionamento abusivo ,é algo que mexe e muito comigo !Obrigada pelas indicações e pelas resenhas .Esse blog é perfeito .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este livro é muito bom e mexe com a gente mesmo! Agora quero ler outro da mesma autora, parece que também tem um tema forte, mas ainda não sei muito sobre ele! Beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©