quarta-feira, 13 de setembro de 2017

XVIII Bienal Internacional do Livro 2017 - Nós fomos!

Olááá!

Tudo bem por aí? 

Do dia 31/08 até o dia 10/09 aconteceu o maior evento literário do país: A Bienal do Livro Rio. São 11 dias de muita cultura, literatura na VEIA!!! Oportunidades incríveis de estar coladinho com nossos autores queridos, de tietar, pegar autógrafo, participar de entrevistas incríveis e ainda comprar muito livro bacana com precinho de banana.

Nós estivemos lá por alguns dias e agora vou contar o que rolou, fazer um resumão e, durante a semana vou postando outros detalhes, dicas e curiosidades.

Bora!





No sábado, dia 02 de setembro, nossa parceira querida Michelle Passos foi ao Rio para o primeiro fim de semana do evento. 

Michelle é autora de "Ao teus pés", que você pode ler a resenha clicando AQUI, e "Em tuas mãos". Não poderíamos perder esse encontro, então, a Natalia - nossa colunista - correu lá para conhecê-la e registrar esse momento de carinho!


A Bienal pra gente começou antes mesmo de chegarmos lá. No site oficial do evento, eles abrem cadastro para Blogs tentarem o credenciamento de influenciadores digitais ou imprensa. É bem simples: basta preencher um cadastro com as informações pedidas (dados pessoais e números relativos ao Blog e demais redes sociais) e aguardar. Eles retornam alguns dias depois com um e-mail informando se você conseguiu a credencial ou não. 

Algumas amigas blogueiras tentaram a credencial e não conseguiram, então não sei explicar qual é o critério deles. Até porque, o e-mail com a aprovação ou negativa não vem com explicações. Se um dia eu tiver mais informações, atualizo vocês! 

Eu fiz esse cadastro, mesmo podendo entrar sem pagar nada pois sou profissional da educação (professora e supervisora escolar), mas eu quis tentar para que o Rafa pudesse entrar sem pagar também. Nada mais justo, já que ele é quem cuida da parte mais chata complicada aqui do blog, como layout, html, todas essas coisas que dão erro e que são infernais delicadas de solucionar. 

Pouquíssimos dias depois de feito o cadastro recebi o e-mail com a aprovação. Assim sendo, só precisamos levar nosso RG no dia, apresentar no setor de credenciamento, sem pegar fila nenhuma, retirar nosso crachá de imprensa e entrar! Um sufoco a menos. No primeiro dia as filas estavam enooooormes. Poder pular essa parte foi um privilégio bem aproveitado! Nos outros dias, não precisávamos mais nem passar pelo credenciamento, pois o crachá é válido para todos os dias. 

Outro ótimo benefício que este credencial nos deu foi o de poder ter acesso à sala de imprensa (com ar-condicionado, sofás confortáveis e banheiros sem filas!!!). Muito bom para dar uma fugida quando o cansaço apertou e descansar um tanto. 

Recebi diariamente pautas para postar para vocês sobre tudo o que estava rolando pela Bienal mas, infelizmente, fiquei sem wi-fi no apartamento em que fiquei hospedada. Na sala de imprensa nós também tínhamos acesso a computadores e wi-fi o tempo todo mas, ou eu ficava lá fazendo posts enormes pra vocês, ou ia viver a Bienal e deixava tudo gravado na memória pra contar depois. =P

Agora, preciso confessar, o melhor de tudo do credencial é não precisar pegar senha para determinados eventos. Os encontros com autores, como a entrevista com a autora estrangeira Karin Slaughter, mediado pela Frini, por exemplo, nós chegamos um pouco atrasados, já tinha começado. Se tivéssemos que pegar senha ainda não iriamos poder assistir. Não sei se vocês sabem, mas a distribuição de senhas é em outro local, fora do pavilhão em que ocorre a entrevista, e sempre tem fila! 

Ou seja, esse credencial quebrou um galho!!!



Dia 07 de setembro foi meu primeiro dia na Bienal! O namorido e eu chegamos por volta das 11:30h e já estava bastante cheio. Foi minha primeira Bienal e eu imaginei que fosse algo impossível de andar, ver os estandes etc (vi muita gente dizendo que seria assim), mas não foi nada disso. Apesar de cheio, é super tranquilo para circular por todos os ambientes, visitar todos os pavilhões e estandes, ver todos os livros - mesmo nos estandes mais cheios é super possível ver e comprar o que quiser. 

Os locais que achei mais chato de frequentar por causa da quantidade de gente foram as praças de alimentação. Apesar de vários locais para comprar lanche, todos estavam sempre muito cheios, com filas enormes e cadeira disponível só depois das 19h e olhe lá. 

A falta de opção de alimentação também é grande. Você vai encontrar muito hambúrguer e coxinha. Fora isso, umas duas ou três outras opções de comida e o restante são outros lanches com preços absurdos. 

Realmente é bastante caro tudo o que for comer. Chegamos a pagar R$ 23,00 em um hambúrguer de "pão, carne, uma fatia de cheddar e cebola caramelizada". Apenas. Tudo por falta de opção e porque a fome já estava negra naquela altura da noite. 

Levar lanche na mochila pode até ser uma boa opção. Fizemos isso no primeiro dia. Levamos biscoitos e frutas. No entanto, como também compramos livros e eles foram para a mesma mochila, no fim acabamos gastando com guarda-volumes: R$ 20,00. Optamos por levar apenas água todos os dias, um biscoito, comer alguma coisa por lá mesmo e deixar pra comer melhor ao sair de lá. No fim, deu tudo certo. Ninguém passou fome, nem foi à falência. 

Levar mochila é essencial. Certamente você vai sair de lá com algum(ns) livros e as sacolinhas que alguns estandes dão não são muito fortes. E, mesmo as de Editoras que são resistentes, acabam doendo a mão e/ou braço de carregar por lá. O Riocentro é muito grande, tem muito o que andar e conhecer lá, logo, uma mochila é melhor do que várias sacolinhas penduradas. 

Uma amiga foi para a Bienal sabendo que compraria bastante livros. Assim sendo, levou uma mala de viagem pequena de rodinhas. Quando eu vi achei um tremendo exagero. Na metade do primeiro dia tudo o que eu queria era uma mala de rodinhas. A mochila fica muito pesada, começa a pesar muito no ombro - tadinho do namorido - não há posição confortável... O guarda-volumes salvou a gente nesse primeiro dia!

E não pense que só uma pessoa muito consumista, rica, vai comprar tanto a ponto de encher uma mochila! Na Bienal você encontra estande com livros de 2,00 a 5,00 reais. MUITOS estandes com QUALQUER livros a 10 reais. As grandes editoras fazem várias promoções... Antes de ir eu li vários blogs falando sobre o evento, vi vídeos, tudo.. E muita gente falou a mesma coisa: Não vá achando que encontrará livros muito baratos porque não vai. 
Olha, não sei se foi um ano atípico e dei sorte, ou se 10 reais não é barato pro povo, mas eu me fartei sim. Compramos vários livros bem baratinhos de 2, 3, 5, 10, 20 reais. O livro mais caro que comprei foi 30 reais e foi porque eu já queria há tempos. Foi um dos livros da Elika Takimoto, ela estava lá e eu não pude perder a oportunidade! <3 


Chega uma hora que a gente tem que postar as fotos cagada mesmo, senão não posta nada! hahaha
Como diz a Natalia, não sei o que acontece, mas a gente sai com cara de brócolis em todas as fotos que a gente precisa que saia mais ou menos decente. 



Bem, no mais, achei bem proveitoso!

Também ganhei alguns livros de presente, mas isso tudo eu vou mostrar separadamente depois pra vocês. 

A melhor parte, sem dúvida, é encontrar toda essa gente que a blogosfera une. Foi delicioso!

Enfim... Voltando ao dia 07 nós aproveitamos para entrar em TODOS os estandes, de TODOS os pavilhões. Foi extremamente cansativo, mas é o que queríamos fazer e foi concluído com sucesso!

Às 15h assistimos a entrevista da Fernanda Young, Jéssica Ellen e Ana Rios. O tema era "Feminismo: A novidade" e foi mediado por Ana Paula Lisboa.

(Depois vou falar sobre uma resposta específica que elas deram nessa entrevista também.)




A Arena #SEMFILTRO era um espaço montado com um palco bem baixinho para receber os convidados e 3 arquibancadas para ficarmos assistindo. A plateia podia interagir em dado momento, fazendo perguntas e/ou comentários. A iluminação não era muito favorável para tirar fotos, rs, mas de resto o espaço era bem bacana esteticamente falando. Tanto a Arena, como as demais salas interativas ficavam no pavilhão verde e bem próximas uma das outras, isso foi um erro - em minha opinião. Em alguns momentos, quase não era possível ouvir o que elas diziam, mesmo com microfone, porque estava tendo atividade ao lado (no "Geek & Quadrinhos) e o barulho era imenso: muitos gritos, comemorações. Tudo isso cobria o som da fala das meninas. Isso se repetiu nas demais entrevistas. Para os próximos anos, como o Geek foi o primeiro ano, seria interessante repensá-lo para um outro pavilhão...

No dia 08 de setembro, chegamos um pouquinho mais tarde, por volta de 12:30. A quantidade de pessoas parecia a mesma, no entanto, o público era diferente. No dia anterior a maioria eram adultos, já na sexta tinham muitas crianças, muitos alunos de colégios tanto do Rio quanto de outros municípios que foram para visitar a Bienal. 
Muita correria pelos corredores, gritaria mas, pasmem, foram os adultos os responsáveis pelas cenas de falta de educação que presenciamos várias e várias vezes. Adultos furando fila, empurrando, xingando e por aí vai. Feio! Péssimo exemplo.

De volta à Arena #SEMFILTRO, as entrevistadas da vez foram: Clara Averbuck, Carina Rissi, Isabela Freitas e Luly Trigo. A maior parte da plateia estava lá por Carina ou Isabela e isso ficava evidente cada vez que uma das duas abria a boca para falar algo. Mas todo o bate-papo foi bastante proveitoso. O tema era sobre obras literárias que são adaptadas para as telas e, como todas elas já tiveram ou estão tendo suas obras adaptadas, falaram sobre o assunto com bastante propriedade. Mais uma vez a mediação ficou por conta de Ana Paula Lisboa e eu senti falta de mais objetividade da mediadora. Algumas vezes ela passou a impressão de estar até perdida no assunto, simplesmente por não ser objetiva e dar muitas voltas na pergunta. 



Ainda no dia 08, aproveitamos para fazer algumas fotos pelos pavilhões, com espaços que as Editoras preparam especialmente para isso. Cada um mais incrível que o outro!



Espelho, espelho meu...


Eu: Vai tirar foto com o robozinho, amor?
Rafa: Com o R2D2!
Eu: Isso, com o robozinho.
Naty chegando depois: Ah, o Rafa vai tirar foto com o robozinho...




Eu: Mas a Edwiges é branca!!!
Naty: Miga, sua loka, a Edwiges tá do outro lado!
Eu: Ah, tá! :X

Foi no dia 08 ainda que pudemos estar com a Carina Rissi também, pegar autógrafos, conversar, rir... As curiosidades desse encontro eu também vou contar depois em um post a parte! 




Depois disso, mais fotos: 




O estande da Editora Rocco estava INCRÍVEL com a decoração de Harry Potter. Tinha a Nimbus para tirar foto do lado de fora - e eu tirei, claro!!!! -  mas as fotos estão impublicáveis kkkkk


Pela quantidade de gente que tinha na fila pra tirar foto nesse trono, acho que eu preciso repensar e talvez assistir GOT mesmo sem terminar os livros... 

No dia 09, último dia para Rafa e eu na Bienal, o cansaço tomava conta da gente. Os planos de chegar bem cedo por lá caíram por terra e este foi o dia que chegamos mais tarde. Mais de 13h. 

Neste dia eu conheci as meninas da Ler Editorial, nossa parceira, e foi muito gostoso. Ganhei livro, mimos, abraços, beijos e autógrafos, claro! 
Conheci novas autoras e as já queridinhas aqui do Epifania. Foi ótimo! <3


Lançamento de "Love is in the air" <3
Cristina Melo, Liz Spencer, Carol Dias - parceira mais que querida desse Universo - e Paula Toyneti



Autografando meu queridinho: "Fortaleza Negra", e suas sequências que já estou em cólicas para ler,  "Tempestade de Sangue" e "Ruínas de Gelo", com a incrível Kel Costa!


No "Encontro com Autores", a Frini - que eu amo - mediou um bate-papo super interativo com a autora Karin Slaughter. Depois disso, a autora internacional foi para outro local autografar suas obras e nossa queridinha, Frini, foi ver alguns amigos nos estandes enquanto aguardava o horário de sua próxima mediação. 

Combinamos com ela de encontrá-la para que ela autografasse um livro pra Naty e um pro môfilo, Arthur. Porque desde que ela mandou o meu ele quer que dê pra ele de qualquer jeito. Partimos na nossa saga de ir comprar o livro e depois ir até o outro pavilhão encontrá-la. Quando conseguimos chegar ela já estava no meio do caminho indo embora, mas foi super carinhosa, simpática, atenciosa... Parou, conversou, não demonstrou pressa (mesmo a gente sabendo que ela estava e respeitando isso). Tiramos foto, ganhamos e entregamos marcadores. Livros autografados, fomos embora. Quando eu vou ver minha foto... CADÊ???
A foto não saiu, gente!!! Me senti revelando um negativo de câmera analógica kkkkk. Agora só no próximo evento! 

Mas o livro tá nas mãos do Arthur, ele amou, o encontro está na minha memória, e a foto da Naty tá aqui:



Lindas! <3 

O encontro com autores:



Rafa batendo altos papos com a autora Karin Slaughter! 
(Ainda bem que ele quem foi pegar autógrafo pra mim, eu não entenderia nem o "hi" kkkk)

Além dos autores, editores e tudo mais, ainda encontrei minha amiga/marida de Salvador, Mara:


Não foi um encontro ocasional, claro. Até porque, a gente se fala todos os dias, o dia inteiro. ahahaha. Mas dessa vez ela não veio se hospedar comigo e, sim, com um grupo de amigas dela que eu não conheço. E como ela fez a mesma agenda de Bienal que eu (os 3 dias inteiros, sobrando nada de tempo e disposição para outras coisas) nós só nos vimos lá mesmo. Mesmo assim deu pra matar um cadinho a saudade! Amo mais que chocolate!

Tenho mais coisas pra contar, mais detalhes, curiosidades... Mas como eu disse, vou fazer isso depois, em posts separados. Hoje quis fazer um resumão pra vocês e já ficou maior do que eu planejava!

Alguém aí foi à Bienal? 
Conta pra mim!
Tem alguma coisa específica que vocês querem saber? 
Deixa aí nos comentários que eu conto nos próximos posts!

beijos, espero vê-los no próximo post!


Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!


Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Que coisa boa. Sinto a emoção por vocês. Esse ano não consegui ir, mas espero que consiga o ano que vem :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ano que vem nós não devemos ir. Então se for, conta tudo pra gente! =D Agora provavelmente só vamos novamente na próxima Bienal Rio, em 2019. Qualquer outro evento literário nesse grande intervalo, conto por aqui! ^^

      Excluir
  2. Oi Eliza, sou louca pra ir nesse evento, mas não tenho dinheiro. kkkk
    Carina Rissi é incrível, já a conheci e ela é um amor. Mas não tive como ficar conversando! rs E gente, esse estande da Rocco estava incrível, não foi a toa que ganhou como o estande mais bonito.
    Essa credencial foi uma mão na roda, ein?! Aqui tem bienal, mas a entrada é gratuita.
    Beijos

    www.lendoeapreciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O estande da Rocco ganhou merecidamente, Kamilla!!! Tava incrível mesmo!!! <3 Carina queridíssima. Ahhh, quem dera a Bienal fosse de graça para todos ahaha.
      beijooos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©