28 de março de 2018

Resenha | Uma dobra no tempo (Madeleine L' Engle)

Uma Dobra No Tempo
Título: Uma Dobra no Tempo 
Autoras: Madeleine L'Engle
Número de páginas: 240

Sinopse: Um clássico da fantasia e da ficção científica emerge!
Era uma noite escura e tempestuosa; a jovem Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche tardio quando recebem a visita de uma figura muito peculiar.
“Noites loucas são a minha glória”, diz a estranha misteriosa. “Foi só uma lufada que me pegou de jeito e me tirou da rota. Descansarei um pouco e seguirei meu rumo. Por falar em rumos, meu doce, saiba que o tesserato existe, sim.”
O que seria um tesserato? O pai de Meg bem andava experimentando com a quinta dimensão quando desapareceu misteriosamente... Agora, com a ajuda de três criaturas muito peculiares, chegou o momento de Meg, seu amigo Calvin e Charles Wallace partirem em uma jornada para resgatá-lo. Uma jornada perigosa pelo tempo e o espaço. 
Uma dobra no tempo é uma aventura clássica, que serviu de inspiração para os mestres da fantasia e da ficção científica do mundo, agora adaptada para os cinemas pela Disney. Junte-se à família Murray nesta jornada, entre criaturas fantásticas e novos mundos jamais imaginados.
Olá, pessoas!

Amanhã lançará, aqui no Brasil, o filme "Uma dobra no tempo", adaptação do clássico de mesmo nome, da autora Madeleine L'Engle. 

Originalmente ele foi lançado em 1962, depois de ter sido recusado por praticamente 30 vezes. Ano passado ele voltou às livrarias através desta publicação linda, de capa dura, da HaperCollinsBr, que também já lançou "Um Vento à Porta" (o segundo livro). 

Também vou trazer a resenha do segundo para vocês. 

Eu sei que tem muita gente que se incomoda com adaptações de livros no cinema e vice-versa. Que se faltar uma cena já fica chateado, que fica para morrer se o filme fizer alguma alteração na história do livro... Sei e entendo perfeitamente! Mas, preciso confessar que não sou dessas. 

Sou, sim, apaixonada por livros. E, sou sim, apaixonada por cinema. Mas eu não me incomodo com nada em relação a livro x filme. E nem fico comparando um e outro para ver qual é melhor e tal. Tem muitos filmes que eu nunca li o livro, nem tenho pretensão de ler. E adoro o filme. Outros que eu li e vi o filme e gostei dos dois. Outros que amei o livro e odiei o filme... E o contrário também. Aliás, isso é um bom tema para post. Vou deixar um post sobre isso agendado aqui pra vocês entenderem sobre meus gostos e como sou zero disputa livro x filme. 

Mas, repito, entendo quem seja. Sei que eu terminei "Uma dobra no tempo" e só pensava duas coisas: "Quero o segundo livro", "Quero ver essa adaptação"!!!

Para mim, cinema e literatura são duas artes diferentes e eu sou totalmente aberta ao que elas têm a me oferecer. 

Mas, enquanto não chega 'amanhã', vamos conversar sobre esse livro delicioso.

Um livro de ficção científica, escrito por uma mulher, com uma protagonista mulher. Seria esse o motivo de tantas editoras recusarem publicar pela primeira vez?

Meg é a protagonista da história, excelente em fórmulas matemáticas, é filha de cientistas. No entanto, seu pai está desaparecido há um ano desde o ponto inicial da história, o que fez com que sua mãe tenha ficado bastante entristecida, Meg mais revoltada e, seu irmão mais novo - um garoto prodígio - transformou-se em uma incógnita para todos.

Apesar de triste, a mãe de Meg não duvida nem por um segundo que seu marido irá voltar um dia. E ela tenta passar essa certeza para os filhos.

Em dado momento, uma senhora de nome nada convencional, Senhora Quequeé, aparece na casa de Meg e, após pouco tempo de conversa, diz saber como encontrar o pai desaparecido. E ainda dá sinais que passam certeza do que está falando à mãe de Meg. 

É a partir daí que os mistérios da ficção começam a ser desvendados. Eles vão precisar viajar pela Dobra no Tempo para chegar até onde o cientista está. Algo bastante interessante no livro é que, por se tratar de uma leitura voltada para o público mais jovem, além de ter uma escrita muito fluída, Madeleine ainda encontrou uma maneira de explicar conceitos comuns à ficção científica e a ciência no geral, de maneira bem simples, sem ser superficial. 

Outras senhoras com nomes estranhos aparecem ao longo da jornada para ajudar ou confundir as crianças. Além de Meg e seu irmão, Charles, eles também contarão com a ajuda de Calvin. Mas muita coisa irá acontecer até o desfecho e o reencontro o cientista. 

Durante a leitura você irá encontrar uma pitada de fé na trama, e poderá estranhar isso. Li algumas críticas negativas a respeito. A mim, particularmente, não incomodou. Pelo contrário, achei super interessante ver essas questões, tantas vezes vistas como antagônicas, juntas ali na mesma história, sem intenção de converter, ou sequer convencer, ninguém. 

A obra de Madeleine merece todo o reconhecimento nesses mais de cinquenta anos, merece ser lido, merece ir para as telonas, merece tudo! Dá tudo pra ela!

Além de conceitos científicos, a autora conseguiu reunir representatividade, autoconhecimento, fantasia, ciência, crença, amadurecimento e muito, muito mais! Leiam!


Espero que gostem, se assistirem o filme antes de mim me digam o que acharam!

beijos e espero vê-los no próximo post!



Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!













Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Esse livro não é muito meu tipo porque não leio esse gênero, mas super me deu vontade de dar uma chance!

    Beijos
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é bem gostoso de ler, Clarissa. Arrisco dizer que até para quem não curte ficção científica, pois a fantasia ajuda muito a mesclar a história. E a forma como a autora escreve deixa tudo muito simples e gostoso.
      Experimente!!!

      Excluir
  2. Oi Eliza,
    Estou curiosa pra ler quanto pra assistir.
    Adorei o fato da menina querer ser cientista. E essas senhoras com nomes estranhos, vi pelo trailer do filme e já me divertiu. Quero ver como ficou o nome delas por aqui haha.
    Ah e que legal que já tem a continuação! Amei sua resenha.

    bjs
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô louca pelo filme também, Nana!!! Mas, como não vou ao cinema... acho que tenho um bom tempinho a esperar! Se for, me conta!!!

      Excluir
  3. Oi, Eliza

    Também costumo encarar livros e adaptações de maneira distinta, mas confesso que fico um pouquinho frustrada quando a adaptação estraga a história do livro... e isso acontece! Hahaha
    Muito tem se falado sobre esse livro, mas não curto o gênero e somente por isso não leria.
    Vou ficar aqui torcendo pra adaptação ser satisfatória!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami!
      Minha única expectativa para a adaptação é que seja tão envolvente quanto o livro!!! Torcendo aqui.

      Excluir
  4. Oi, Eliza. Tudo bem?

    Eu já tinha visto algumas fotos deste livro no instagram, mas nunca tinha lido nada sobre ele. Sua resenha é a primeira que leio e, sinceramente, no início, achei que não fosse me interessar por ele. No entanto, estou bem curiosa em relação ao enredo. É bom saber que a autora consegue explicar bem todo o contexto de sua história, sem tornar complicado e ainda assim não ser superficial, não são todos os autores que conseguem isso.

    Sobre a relação livro x filme, eu também não sou uma pessoa que se incomoda tanto, claro, alguma vezes é irritante em alguns pontos, porém, cinema e livros são formas de expressão diferente e então é claro que mesmo em uma adaptação, ela terá suas diferenças.

    Adorei a resenha, Eliza, vou pesquisar mais sobre o livro e pretendo lê-lo. Adorei a dica.

    Beijos.
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado! <3 Acho que você tem tudo pra gostar. Tem magia, sonhos... Só que tudo com ciência em volta! É encantador, envolvente!

      Excluir
  5. ah realmente deve ser lindo o filme assim como o livro, eu adorei a resenha e to bem curiosa. Adorei seu blog e ja to seguindo. bjs bjs https://beperes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. A adaptação cinematográfica foi muito boa, gostei muito. Chris Pine fez um excelente trabalho, seus trabalhos sejam impecáveis e sempre conseguem transmitir todas as suas emoções. Mulher Maravilha é um dos seus filmes mais recentes dele, é maravilhoso! Na minha opinião, foi um dos mehores filmes de herois 2017. que foi lançado. O ritmo é bom e consegue nos prender desde o princípio. É importante mencionar também o grande trabalho do elenco. O filme tem uma direção incrível, narrado de uma forma bem humorada e divertida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mariana! Obrigada pela visita e pela opinião. Eu, simplesmente, AMO "Mulher Maravilha". Ainda não consegui conferir "Uma dobra no tempo" mas, por sua colocação, imagino que tenha sido tão bom quanto o livro. Fiquei ainda com mais vontade de ver!

      Obrigada pelo comentário. Volte sempre para acrescentar com suas opiniões.

      Beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©