21 de maio de 2018

Resenha | 2990 graus - A arte de queimar no inferno (Adilson Xavier)


2.990 Graus

Título: 2.990 graus - A Arte de queimar no inferno
Autor: Adilson Xavier
Editora: Panda Books
Número de páginas: 320

Sinopse: O jovem delegado Hermano está longe de ser um policial típico. Filosofa sobre a verdade, gosta de poesia. Inexperiente e orgulhoso por jamais ter usado sua arma, ele recebe a missão de investigar o assassinato de um deputado federal acusado de desviar verbas destinadas às vítimas de uma grande inundação. A arma do crime foi um maçarico, usado com impressionantes requintes de crueldade. Outros políticos são mortos com o mesmo ritual torturante. Um pastor evangélico, ex-presidiário, surge como suspeito. A população batiza os assassinos como “Vingadores do Povo”. Pressão total. Ódio e desinformação esquentam os ânimos. A vida de Hermano se transforma num inferno.




Olá, pessoas! Tudo bem do lado daí?

Hoje quero conversar com vocês sobre um livro que alcançou minhas expectativas. Eu sou bastante fã de romance policial, acredito que vocês já saibam, pois, já falei da minha relação com os livros da Agatha Christie aqui, que vem desde a pré-adolescência, Sidney Sheldon, outros "mestres" do gênero, assim como os mais atuais, como Raphael Montes e outros não tão conhecidos, sejam contemporâneos ou não. Então, ter a possibilidade de ler uma obra com esse tipo de conteúdo, de um autor que eu ainda não conhecia, já me deixou bem empolgada. 

Como vocês também sabem, rolou - e tá rolando - toda uma rotina nova na minha vida, por forças maiores (se você é novo por aqui, dá uma passadinha em um "resumo do mês e destaque" que eu sempre falo um pouquinho) e, por isso, este foi um daqueles livros que contei que recebi e acabei me "atropelando" na leitura, criando uma fileira imensa de livros "por ler", coisa que não gosto de fazer, mas que aconteceu e vida que segue!

O lado bom de tudo isso foi poder perceber quem entende o real sentido de parceria! Sou sempre muito grata aos meus parceiros que entenderam, e entendem, tudo o que houve. E com a Oasys Cultural, por quem conheci este livro da Panda Books, não foi diferente. Então, meu muito obrigada! 

Mas, chega de blábláblá e vamos ao que interessa!

Eu não sei vocês, mas quando eu pego um livro de um autor que ainda não conheço, a primeira coisa que faço é ir pesquisar sobre ele, além da orelha do livro. E, assim o fiz.


Este é Adilson Xavier, bem do jeito que vocês podem encontrar no site do livro. "Publicitário, escritor, roteirista e produtor audiovisual. Ganhador de centenas de prêmios publicitários nacionais e internacionais nas diversas agências em que trabalhou, é atualmente CEO da Zola Filmes, onde cria e produz seriados e filmes para a televisão, internet e cinema."

Também pude encontrar as redes sociais dele: 




Em 2.990 graus, nós vamos acompanhar o delegado Hermano que, apesar de jovem e inexperiente no ramo, passa - muitas vezes - uma postura de veterano. Hermano foge aos esteriótipos atribuídos a delegados que costumamos ver em livros e filmes. Fala bem pouco, mas deixa claro o quanto pensa: pensa muito. Tem certa obsessão pela "verdade", e isto o leva a filosofar internamente, a desviar de outros pensamentos, e até de sair de seu silêncio habitual e proferir palavras através de uma fala pouco projetada. 

O fato de Hermano falar pouco nada tem a ver com falta de assunto ou algo parecido. Pelo contrário, o delegado tem tanto conteúdo que absorveu de suas inúmeras leituras, que é exatamente por isso que muitas vezes não aparenta ser o jovem inexperiente que é. Muito maduro e erudito, Hermano ainda carrega consigo um orgulho grandioso por nunca ter usado sua arma. 

"Em vez de chumbo, disparo pensamentos", filosofa.


O passado desse jovem delegado não é tão ilibado assim. Já esteve em uma clínica de recuperação para viciados. E foi lá que conheceu Alice, sua atual namorada, que faz aulas de pintura com um ex-namorado. Algo que deixa Hermano bastante enciumado, mas nada o impede de ter uma amante, inclusive, colega de trabalho.

Hermano é um personagem que se apresenta de forma ambígua, deixando o leitor numa linha entre a simpatia e antipatia. Não sei se é possível alguém amar esse protagonista, mas também não chega a ser alguém que se odeie. E tudo bem!!! Isso apenas deixa toda a trama mais interessante, o personagem bem humanizado e longe de ser feito um "super-herói", que veste a capa da perfeição e vai salvar o país. Não!!! Hermano é um personagem que se aproxima muito da realidade e isso só contribui para que sejamos sugados para dentro dessa história que, apesar de ser uma ficção, esbarra muito na vida real.

Estamos tratando de um romance policial, não se apaixonar por um personagem não interfere, de forma alguma, na história. Na verdade, o que a gente quer aqui é competir com ele, fala a verdade!? Queremos desvendar tudo o que tiver que desvendar junto dele, antes dele e por aí vai! É nessa empolgação que lemos. 

Mas coloca muitas aspas nesse "queremos" aí. A gente lê com esse impulso mas, no fundo, se a gente descobre tudo antes, a gente acha é fraco, não é mesmo? hahaha. E, por isso eu reafirmo, 2.990 graus alcançou todas minhas expectativas. Além de trazer nuances que eu não estava esperando, amarrar a trama de uma forma que eu não supunha que fosse acontecer, ainda me surpreendeu. E em VÁRIOS pontos! 

Na trama, um deputado federal chamado Marcílio Tavares, envolvido em um escândalo de corrupção de desvio de verba que deveria ser destinada à vítimas de uma enchente que ocorreu na região serrana do Rio de Janeiro, foi encontrado morto por sua faxineira. 

A cena era digna de um filme de terror: o deputado estava amarrado suspenso no ar, desnudo, de braços e pernas abertos (num "x de homem vitruviano, de Da Vinci). E com o ânus chamuscado com um maçarico dentro, e mais detalhes que vocês precisam ler para saber tudo. Tenso!

Resultado de imagem para homem vitruviano

Homem Vitruviano - Leonardo Da Vinci

Pela primeira vez em sua carreira, Hermano enfrentaria um caso de nível tão brutal!

O título do livro está super relacionado com a arma e a forma com que o deputado foi morto. E eu achei isso muito inteligente! Não pensaria num título melhor. (Leiam!!!)

Apesar de iniciadas as investigações por Hermano e sua equipe para descobrir o autor deste crime, outros políticos corruptos por todo o país começam a ser assassinados também e, para 'aquecer' (desculpe, não me aguentei sem inserir uma palavrinha no contexto =X) ainda mais tudo isso, a população começa a apoiar quem está por trás desses assassinatos, atribuindo a ele(s) o nome de "Vingadores do Povo".

Tal reação das pessoas, nada mais é do que o descontentamento com o descaso dos políticos. Quando seus assassinatos começam a acontecer, eles sentem-se compensados, vingados.
Foi instantânea a correlação com nosso momento atual. Traçar um paralelo com nossa sociedade é inevitável. Com os rumos que a política toma e nos leva a viver, com o fogo que arde dentro de nós, "que queima por dentro", o inferno de cada um, ou de todos nós.

É um livro de narrativa envolvente, daqueles que a gente começa e não quer mais largar. Com personagens bem construídos, até mesmo os secundários. Um trabalho gráfico exemplar. Como podem ver, por toda a capa e contra-capa temos a impressão de papel queimado, casando perfeitamente com todo o restante.

Tudo se amarra no livro e isso é impecável. E, o que achei mais interessante: não é um livro que termina quando se tem os desfechos pretendidos. Mesmo após a última página, ficam reflexões. Principalmente acerca de valores morais, de certo ou errado, de bom ou mau.

Foi uma leitura bem prazerosa, com índice de horror na medida certa, original, atual e que eu recomendo a quem curte o gênero e/ou tem interesse em experimentar!






Um beijo para vocês e espero vê-los no próximo post!



Liza AlvernazEliza Alvernaz |  Twitter - Skoob |  Todos os posts do autor
Pedagoga, especialista em Supervisão Escolar e Gestão de Ensino. Leitora compulsiva, libriana desastrada, apaixonada por filmes e séries, viciada em internet e corujas. Mora no interior do Rio de Janeiro, mas não desiste de ganhar e mudar o mundo!




Comente com o Facebook:

14 comentários:

  1. Gente, já quero esse livro só por esse título. Achei diferente e super impactante.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oi Eliza
    Eu fiquei encantada pela arte da capa, achei muito bem feita, mas não sou boa para ler romance policial. Li somente um até hoje e demorei quase um mês para terminar tamanha minha dificuldade em me concentrar na trama. Mas vou anotar a dica mesmo assim.

    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles arrasaram muito na arte mesmo, Miriã. Eu sei como é, tem gênero que a gente não tem afinidade mesmo. Mas já que vai anotar, arrisque qualquer hora. Eu acho que vai te surpreender!

      Beijoos

      Excluir
  3. Olá,

    Não conhecia o livro, confesso que não leio tanto o gênero, mas me interessei pela premissa.
    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito da premissa desse livro, com certeza se eu tiver a oportunidade vou ler!

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. UAU!!!
    Meu Deus!
    O que é esta resenha?!

    Sério, estou totalmente apaixonada <3

    Primeiramente, essa capa me ganhou já desde o início. De verdade, é maravilhosa. Segundo, você fez eu desejar uma história que nem está entre meus gêneros favoritos.
    De verdade, eu tenho a sensação de que vou amar esta história. E, claro, logo irei saber disso porque quero muito comprá-lo.
    Mesmo que eu não goste de histórias com personagens que traem, como é o caso do protagonista, fiquei muito curiosa com a história justamente por ela, aparentemente, trazer a humanidade dos personagens, com seus defeitos e suas qualidades.
    Sobre a questão da história fazer um paralelo com a nossa atual situação política, também pensei nisso. E achei bem interessante a história trabalhar com uma população que acaba vendo esses crimes como uma justiça, porque a corrupção desperta na gente essa raiva, afinal, não vemos a justiça sendo cumprida mesmo. É legal imaginar que o autor conseguiu trabalhar com este lado da história.

    Como você pode ver, eu amei a sua resenha e me interessei muito pelo livro. Espero gostar dele tanto quanto você.

    Beijos,
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh que bom que você gostou e captou tudo o que eu senti com a leitura e tentei passar através da resenha <3 <3 <3 Espero que tenha uma leitura satisfatória assim como eu!

      Obrigada pelo comentário!

      Beijooos

      Excluir
  6. Oi Eliza, tudo bem?
    Não conhecia o livro, adoro romance policial e fiquei bem curiosa pela premissa, conhecer melhor os personagens! Gostei muito da resenha, espero ter oportunidade de ler o livro um dia!

    Obrigada pelo carinho. Volte sempre!
    Um super beijo :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Claris!
      Se você já curte o gênero, acho que tem tudo pra você gostar desta obra. Espero que tenha oportunidade de lê-lo. Depois me conta o que achou! ;)
      Beijooos

      Excluir
  7. Eliza, sou apaixonado por audiovisual e acredito que o fato do autor ter experiencia nessa área pode ter facilitado a criação da atmosfera e ritmo frenético do livro. Bom, foi só um palpite porque não li a história mas estou super curioso em conhecê-la. Obrigado pela indicação e pelo toque lá no meu blog :)Desculpa pela demora em responder.

    Beijos

    Beto Moreira

    www.coisastriviais.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Beto!
      Obrigada pelo comentário. Realmente este fato deve ter contribuído muito no processo de criação do autor, você tem toda razão. Tomara que você tenha oportunidade de conhecer mais profundamente esta obra. Vale muito a pena.
      Beijooos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©