6 de agosto de 2018

Por que sumi? - Resumo e destaques do mês de julho

Oi, tem alguém aí?

Com certeza esse é o post mais difícil que eu já fiz nesses - quase - quatro anos de Blog. Esse espaço não é minha fonte de renda, não é "famosinho" - deus me livre, mas quem me dera - não é nada disso, mas é meu: meu espaço, meu cantinho, meu lugar preferido dentre muitos. É aqui que conheço pessoas de todo canto do Brasil. Pessoas que dividem as mesmas paixões e fazem, daqui, um lugar muito acolhedor e de incrível pertencimento.

Sou muito grata a quem acompanha o "Aquela Epifania", que me lê sempre, interage, puxa orelha, troca experiências, tudo... E é por isso que não vou omitir um fato ocorrido há exatos 21 dias. 

Eu mencionei aqui, algumas vezes, que eu vinha lutando ao lado de meu marido contra um câncer que o atacou. Pegamos o resultado da biópsia em outubro e, desde então, nossa vida virou de cabeça para baixo.

Foram situações extremamente difíceis, desequilíbrio emocional de ambas as partes, momentos de dor, de brigas, de distanciamento, de amor, companheirismo, paixão... Tudo quase que junto, tudo misturado.

Não foi fácil. Mas eu estava certa, sobretudo, que tudo ia acabar bem. 



O Rafa era extremamente forte, jovem (fez 36 anos no dia em que foi internado pela última vez), batalhador. Eu, realmente, acreditava que passaríamos por isso e sairíamos vitoriosos. Mas não foi o que aconteceu.

Dia 15/07 o Rafa fez 36 anos, como eu disse, e foi um dia bem feliz. Ele não vinha tendo dor, os exames apontavam que já não deveria existir tumor, tudo caminhando... Mas a língua dele estava muito lesionada por efeito da doença e, principalmente, da radioterapia. Isso fez com ele tivesse uma série de hemorragias. 

Ele tinha a hemorragia, ia para o hospital, internava, era medicado, repunha sangue e saía. Aconteceu isso na noite do aniversário dele. Na manhã seguinte, ele partiu.

Eu estava sozinha com ele no momento em que os batimentos dele foram caindo, caindo... Estava sozinha quando a médica me deu a notícia. Eu caí no chão, quebrei meus óculos, senti uma dor profunda no peito - que não me deixou até agora - e pedi, repetidas vezes, para que ele voltasse. Insanamente. Inutilmente. 

Ele não voltou, claro, e os dias que sucederam seguem sendo os piores da minha vida. Talvez eu volte a falar sobre isso, sobre ele... No momento eu só consigo dizer o que houve mesmo. Por isso eu "sumi". Sumi daqui, mas sigo nas outras redes sociais. Não adianta, acabo falando muito do que estou vivendo e sentindo por lá. Esse negócio de ser só feliz em rede social, ou superficial, nunca funcionou comigo. 

Aos poucos vou voltando pra cá. As editoras parceiras têm sido incríveis, entendendo toda minha situação desde o início, e me dando uma super colher de chá em não cobrar prazos e essas coisas que vocês conhecem bem. Continuo mostrando os recebidos lá no instagram, faço pequenos comentários sobre o pouco que estou lendo, tenho algumas resenhas engatilhadas pra liberar (de obras que li antes do ocorrido final), enfim... Tudo vai voltar aos eixos. Eu sei que vocês entendem!

Só queria agradecer a cada um que sempre deixou uma mensagem de carinho aqui, no direct, nos comentários, em qualquer lugar... Tudo isso é um combustível para seguir em frente, acreditem! Muito obrigada!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Layout: Equipe Epifania | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©